ACP Signature du cahier des charges entre la Somika  et  les communautés ANG Covid-19/Um milhão de vacinas de Portugal deverá chegar aos países lusófonos no segundo semestre ANG Níger/opositor reivindica vitória na eleição presidencial com 50,3% ANG Ensino/Ministério da Educação anuncia retoma das aulas para dia três de março próximo L’administrateur du territoire de Muanda satisfait du projet carbone RDC ANG Golpe de Estado/G7, EUA e UE aumentam pressão sobre a junta birmanesa ANG Greve Função Pública/UNTG anuncia nova paralisação entre os dias 1 à 30 de Março ANG Forças Armadas/Presidente da Republica anuncia negociações com a ONU para levantamento de sanções impostas à alguns militares guineenses ATOP UNE LATRINE EQUIPEE DE BIODIGESTEUR RECEPTIONNEE A TANGNITCHIONGOU ANG Comunicação Social/ʺConcurso interno nos órgãos públicos terá nova dataʺ, diz secretário-geral

Abraão Vicente considera “provocação” a realização de “pequena demonstração” de Carnaval pela autarquia praiense


  8 Février      13        Arts & Cultures (1466), Politique (15284),

   

Cidade da Praia, 08 Fev (Inforpress) – O ministro da Cultura e das Indústrias Criativas, Abraão Vicente, disse hoje que só pode ser “provocação” a realização de uma “pequena demonstração” de Carnaval no dia 16 pela Câmara Municipal da Praia.
Na sexta-feira, 05, a Câmara Municipal da Praia, cuja novel equipa saiu das eleições de Outubro último, anunciou a realização de uma exposição e de um espetáculo no dia 16 para assinalar a festa do Carnaval, no Parque 5 de Julho, na Cidade da Praia.
Ao tomar conhecimento deste evento, o ministro através de uma publicação na sua página na rede social, Facebook, considerou que este evento só pode ser uma “provocação”.
Conforme elucidou, a lei proíbe qualquer tipo de acção organizada com vista a celebrar o Carnaval no dia 16 de Fevereiro.
“Se todos não celebram, ninguém celebra, principalmente quando financiado pelo dinheiro público. E se outras câmaras municipais e instituições decidirem fazer pequenas demonstrações?”, questionou, apelando para o sentido de responsabilidade da autarquia praiense.
O ministro da Cultura pediu ainda a responsabilidade, a empatia e o espírito de solidariedade da autarquia para com os cabo-verdianos, uma vez que, a seu ver, não há motivos para celebrar.
“Não podemos baixar a guarda contra a covid-19. Vamos celebrar o quê mesmo? As mortes, as famílias enlutadas, as crianças órfãs, os doentes internados nos hospitais?”, rematou.
De referir que o Governo anunciou, no dia 04, que este ano não vai haver tolerância de ponto para o Carnaval e o tradicional almoço de quarta-feira de Cinzas, que se festeja na ilha de Santiago.
O ministro da Administração Interna, Paulo Rocha, justificou essas medidas adoptadas em Conselho de Ministros, que se reuniu na Cidade da Praia, por causa da situação da pandemia de covid-19 que se vive no País.
Este ano, o Carnaval devia ser assinalado no dia 16 de Fevereiro e a festa de quarta-feira de Cinzas no dia seguinte, simbolizando para os cristãos o primeiro dia da Quaresma.
O Carnaval, enquanto manifestação cultural, é celebrado em todo o País, com destaque para as ilhas de S. Vicente e S. Nicolau, enquanto o almoço de quarta-feira de Cinzas encerra uma dimensão festiva “muito forte” de confraternização entre as pessoas nas ilhas de Santiago e do Maio.

Dans la même catégorie