MAP Tour du Sahel de cyclisme (4è étape) : le Maroc confirme sa suprématie MAP Elections au Nigeria: L’INEC teste l’identification biométrique MAP Présidentielle au Liberia: George Weah investi par son parti pour un second mandat APS le Sénégal remporte le CHAN MAP Nigeria: Trois morts dans l’effondrement d’un immeuble à Abuja APS Kédougou : Le village de Bandafassi à l’heure du Festival des minorités ethniques APS Modernisation de l’agriculture: Macky Sall lance un programme de 85 milliards de FCFA APS Cancers: La subvention de la chimiothérapie a augmenté de 500 millions francs CFA en 2023 (officiel) APS Plus de 4000 tonnes de graines d’arachide collectées par la SONACOS dans la zone de Kaolack (DG) MAP Un médecin de l’OMS libéré dans le nord du Mali

ANAS denuncia câmara da Praia de transformar antigo vazadouro municipal selado numa lixeira e exige sua suspensão imediata


  5 Octobre      22        Environnement/Eaux/Forêts (5015),

   

Cidade da Praia, 05 Out (Inforpress) – A Agência Nacional de Águas e Saneamento (ANAS) denunciou terça-feira a Câmara Municipal da Praia de transformar o antigo vazadouro municipal sanitariamente selado numa lixeira, e exige a “suspensão imediata” da deposição de resíduos na antiga lixeira.
Em conferência de imprensa, o presidente do conselho de administração da ANAS manifestou a sua indignação pelo facto denunciado, tendo sublinhado que a concretização do encerramento e respectiva desativação custou 47 milhões de escudos proveniente dos recursos públicos em 2020.
Por esta razão, Cláudio dos Santos quer que a autarquia da capital recolha e transporte os resíduos já depositados para o Aterro Sanitário de Santiago, por entender que tal prática da câmara da Praia viola as normas, pondo em causa a salubridade ambiental e a saúde pública.
O responsável da ANAS, enquanto autoridade nacional, clarificou que “todo o resíduo no município deve ser, doravante, depositado no Aterro Sanitário de Santiago”, criado para o efeito, tendo sublinhado que a lixeira em causa tinha sido encerrada, mediante um acordo tripartido entre a autarquia, ANAS e o Fundo do Ambiente.
“A Agência Nacional de Água e Saneamento, na qualidade de regulador técnico, tem responsabilidades na aplicação e no seguimento das políticas públicas de gestão de resíduos”, referiu Cláudio Santos, acrescentando que em representação do Estado deve garantir o necessário planeamento integrado na gestão dos resíduos sólidos.
A promoção e a mobilização dos investimentos necessários para o seu desenvolvimento a nível da infraestruturação foi ainda, apontado por Cláudio Santos como outros dos poderes desta agência, pelo que alertou que “cabe a cada município, de forma singular ou em associação, garantir a operacionalização das infraestruturas afins, assim como a respectiva gestão e manutenção”.
A ANAS, ainda de acordo com este responsável, elaborou o Plano Operacional de Gestão dos Resíduos na ilha de Santiago, através de recursos disponibilizados pelo Fundo do Ambiente, e tem promovido a formação de técnicos municipais para o efeito, assim como formação na gestão do aterro sanitário.

Dans la même catégorie