AGP Gabon/Oyem: Le budget du conseil municipal voté à plus de 900 millions de F CFA AGP Gabon/Lutte contre le tabagisme: Une campagne d’information et de sensibilisation lancée à Libreville AGP Gabon/Education nationale: Le Sena demande plus de lisibilité sur les dossiers déjà régularisés AGP Gabon: Liliane Massala présente ses lettres de Cabinet à Louise Mushikiwabo ACP Présentation du dictionnaire essentiel des infractions environnementales en droit congolais Inforpress Porto Novo: Obras da estrada de acesso às Marcelas prevista para os próximos dias – promotores ACP Plus de 39 millions de doses de vaccins avaient été administrées dans 49 États riches, selon l’OMS ACP La deuxième vague de l’épidémie de Covid-19 se révèle plus meurtrière en Afrique qu’ailleurs, selon Africa-CDC ACP Covid-19 : l’Afrique a atteint plus de 3.310.000 cas confirmés Inforpress Fogo: Ministério da Saúde vai contratar um enfermeiro para Chã das Caldeiras – director região sanitária

Artesanato: Veterano insta jovens artesãos a apostarem na criatividade e inovação


  22 Décembre      15        Société (27614),

   

Cidade da Praia, 22 Dez (Inforpress) – O mestre-artesão Gustavo Duarte instou hoje os jovens artesãos a dedicarem-se a “sério” ao artesanato, assumindo o ramo como uma profissão, ter imaginação, criatividade e, acima de tudo, inovação.

Gustavo Duarte falava à imprensa, à margem da inauguração da sua exposição “Artesanato Amigo do Ambiente”, que se encontra patente ao público no Salão do Munícipe, nos Paços do Concelho da Praia.

Nas suas declarações, este artesão, que já conta com 45 anos de estrada, defendeu que as pessoas que estão nesta área deverão ser as próprias a criarem os seus empregos com o artesanato, acrescentando que “com inovação tem sempre coisas novas”.

Gustavo Duarte ressaltou ainda que há em Cabo Verde jovens com talento para o artesanato, mas afirmou que falta distinguir o que é artesanato.

“Nós, neste momento, temos trabalhos manuais e temos artesanato. Há quem confunda uma coisa com outra. Artesanato é uma coisa nata. É algo que nós inventamos, não é uma coisa copiada. Nos trabalhos manuais compra-se toda a matéria-prima e monta-se. No artesanato, a pessoa parte do nada para o todo, cria-se a matéria-prima”, explicou.

Este artesão experiente lamentou ainda o facto de perceber que em Cabo Verde o artesanato teve um retrocesso.

“Cabo Verde já teve melhor artesanato do que aquele que temos agora. Eu vivi naquela altura, estive a frente do artesanato naquela altura onde ganhamos prémios com o que se fazia. O nosso artesanato na altura tinha a nossa identidade”, continuou.

Gustavo Duarte disse ainda que hoje há mais quantidade do que qualidade.

O mestre Gustavo é um artesão de nível superior certificado, com mais de 45 anos de carreira. Já esteve em vários países para exposições e para também ensinar a sua técnica.

Ao longo dos tempos tem recebido vários prémios e distinções a nível nacional e internacional, inclusive do Museu Smithsonian, nos EUA.

A exposição “Artesanato Amigo do Ambiente” pretende evidenciar as possibilidades de reciclagem e aproveitamento de matérias-primas encontradas na natureza, mas também de materiais de uso quotidiano descartados transformados, com técnica e criatividade, em arte.

GSF/JMV

Dans la même catégorie