GNA Ghana to host 2021 West Africa Conference on CelebrateLAB GNA Aburihene confers ‘maawerehene’ title on President Akufo-Addo GNA Dr Kingsley Nyarko donates street lights to Kwadaso Municipal Assembly AGP Tournoi UFOA U20 : La Guinée domine la Mauritanie (1-0). AGP Nzérékoré/Insécurité : Cinq bandits présentés aux autorités préfectorales AGP Nzérékoré/Covid-19 : 21 enseignants formés en technique de communication et d’engagement communautaire AGP Guinée/Santé : La prévalence nationale des MGF est de 95% selon l’enquête démographique de Santé Publique de 2018 AGP Guinée/Covid19 : ‘’Des Covid-héros’’ récompensés  par l’Agence More & More APS GESTION DES DÉCHETS : UNE CAMPAGNE POUR UN CHANGEMENT DE COMPORTEMENT LANCÉ À TIVAOUANE APS LUTTE CONTRE LE VIH/SIDA : L’ACCÈS AU DÉPISTAGE RESTE ENCORE « UN DÉFI MAJEUR » (CNLS)

Autárquicas 2020/Sal: Delegado CNE depreende que taxa de abstenção deverá estar ligada à pandemia e à não transferência de inscrição


  28 Octobre      11        Société (25115),

   

Espargos, 28 Out. (Inforpress) – O delegado da Comissão Nacional de Eleições (CNE), no Sal, Sidney Spínola, depreende que a taxa de abstenção registada na ilha deverá estar ligada à situação de pandemia da covid-19 e à não transferência de inscrições.

A taxa de abstenção nas eleições tem vindo a registar um aumento ao longo dos anos.

No que diz respeito aos números do Sal, nas eleições de domingo, concretamente, que deram vitória a Júlio Lopes, que segue assim para um segundo mandato, a taxa de abstenção registada foi de 44 por cento (%), que dizem respeito aos cerca de 10.477 votantes, num universo de 18.701 eleitores inscritos, segundo dados provisórios da CNE.

Ao analisar essa taxa de abstenção Sidney Spínola entende que não se pode desassociar esse resultado do cenário de pandemia da covid-19, mormente no Sal com os hotéis fechados, onde muitos jovens, a maioria das pessoas tiveram que regressar para a sua casa, ilhas de origem, sem, contudo, terem feito a transferência de inscrição por mudança de residência.

“Muitos deles não fizeram a transferência para o local de residência, então os nomes continuam a constar na ilha do Sal como eleitores… e não estão cá, por isso, aumentou a taxa de abstenção”, analisou, alertando as pessoas no sentido de efectuarem a actualização dos dados de recenseamento para que possam votar nas próximas eleições, lá onde estão a viver.

Ainda, segundo o responsável, o momento de pandemia que se vive actualmente, no país, dificultou, igualmente, a logística por detrás disso.

“Não foi nada fácil, tivemos que aumentar o número de mesas para evitar aglomerações, além de se formar mais de 460 indivíduos para fazer face a essas eleições”, esclareceu.

Atendendo à situação de pandemia e ao número de abstenção, Spínola faz um balanço “razoável” destas eleições autárquicas.

“De resto as coisas correram bem, isto é, todas as mesas funcionaram bem, até o fecho das urnas. Vamos ver se pela próxima poderemos diminuir o número de abstenções”, referiu.

Em política, abstenção é o acto de se negar ou se eximir de fazer opções políticas. Abster-se do processo político é visto como uma forma de participação passiva.

Na ilha do Sal, concorreram para estas eleições autárquicas, Albertino Mosso, apoiado pelo PAICV, o grupo Independente – Sociedade em Acção para a Liberdade -, encabeçado por Aldirley Gomes, e o Movimento para a Democracia (MpD) liderado por Júlio Lopes.

De acordo com os dados provisórios, o MpD venceu a câmara com 69,8%, equivalente a 7.314 votos, contra 17,2% do PAICV, que dizem respeito a 1.798 votos, e 9,8% do Grupo Independente, o que soma um total de 1.031 votos.

Já na assembleia municipal o MpD conquistou 12 dos 17 deputados, o PAICV 3, e o Independente 2.

Júlio Lopes é o grande vencedor das eleições autárquicas de 2020, renovando assim o mandato para administrar a ilha por mais quatro anos.

SC/ZS

Dans la même catégorie