GNA E. African security experts, policymakers urge concerted efforts in conflict resolution GNA U.S. to raise bar for « made in America » products GNA Sudan, South Sudan to address oil flow constraints AGP Matoto-Route : trois jeunes tués dans un accident de la circulation GNA NC cancels meeting with clubs GNA Mother of former Nigeria national football coach kidnapped again by gunmen: police GNA 20 million children fail to receive lifesaving vaccines in 2018: UN APS CAN 2019 : LA DÉFAITE EN MATCH DE POULE EST OUBLIÉE (CAPITAINE) APS PLAIDOYER POUR LA CONSTRUCTION D’UN HÔPITAL DE NIVEAU 2 À VÉLINGARA APS LA QUALIFICATION EN FINALE VA RAPPORTER 1, 4 MILLIARD DE FRANCS AU SÉNÉGAL

Bispos angolanos rezam missa no túmulo de Nsaku Ne Vunda


  19 Juin      10        Société (50807),

   

Vaticano, 19 de Junho (ANGOP) – A primeira missa dos Bispos da Conferência Episcopal de Angola e São Tomé (CEAST), em visita à cidade do Vaticano, que culminou com a audiência do Papa Francisco, foi celebrada na basílica Santa Maria Maior, onde se encontra o túmulo de Nsaku Ne Vunda.

A Visita ad limina apostolorum (em português: “visita aos túmulos dos Apóstolos”) é uma obrigação dos bispos diocesanos e outros prelados da Igreja Católica, de a cada 5 anos se encontrarem com o Papa, visitando os túmulos dos apóstolos São Pedro e São Paulo, em Roma.

Há 400 anos, em 1608, na Basílica Santa Maria Maior, a quarta maior basílica de Roma, foi enterrado Ne Vunda (baptizado como António Manuel), o primeiro embaixador do Reino do Congo no Vaticano.
Segundo uma nota de imprensa da embaixada de Angola na Itália, durante a vista, realizada de nove a 17 de Junho, o Papa Francisco recebeu os 18 prelados angolanos com os quais passou em revista a situação da Igreja em Angola e ofereceu a cada um uma cruz peitoral e textos do seu pontificado, entre eles um sobre a convivência com o Islão e a fraternidade.

Dom Gabriel Mbilingi, arcebispo do Lubango e Presidente do Simpósio das Conferências Episcopais de África e Madagáscar (SCEAM/SECAM) e o bispo do Namibe, dom Dionísio Hisiilenapo, em entrevista à Rádio Vaticano, afirmaram que o encontro foi marcado pela simplicidade, informalidade e profundo sentido de proximidade.

Dans la même catégorie