AIP Côte d’Ivoire-AIP/ Le MACRA de Koumassi remporte le tournoi de maracana de « l’Amitié de l’Est » à Bondoukou AIP Côte d’Ivoire-AIP/A Man, des activités socioculturelles et sportives pour promouvoir la cohésion sociale en milieu estudiantin AIP Côte d’Ivoire –AIP / 99 cas de violences basées sur le genre enregistrés à Tabou GNA China ready to lead global economic rebound APS L’ANER EST EN TRAIN D’INSTALLER DES MINI-CENTRALES SOLAIRES DANS LE MONDE RURAL, SELON SON DIRECTEUR GÉNÉRAL APS MALICK DAFF SE SATISFAIT DU RÉSULTAT APS KALIDOU KASSÉ EXPOSE ‘’GIS GIS BU BEES’’, SA NOUVELLE VISION PICTURALE APS COUPE DE LA CAF : LE JARAAF PREND UN LÉGER AVANTAGE LORS DE LA MANCHE ALLER ANP Maradi : Le Président Issoufou Inaugure la route Maradi-Madarounfa-frontières Nigéria ANP Niger : Le parlement adopte le statut du personnel militaire des forces Armées

Boa Vista/Uso de Máscara: Comandante da PN aponta para “campanha agressiva com coimas” quando população estiver informada sobre a lei


  10 Novembre      5        Société (25398),

   

Sal Rei, 10 Nov (Inforpress) – O comandante da Policia Nacional (PN), na Boa Vista, assegurou hoje que a campanha de sensibilização será “mais agressiva”, com aplicação de coimas, quando se entender que população está informada sobre a lei do uso obrigatório de máscara.
Em declarações à comunicação social, após uma equipa da polícia nacional cumprir mais um dia de sensibilização, Evandro Sousa adiantou que, “por enquanto”, nesta primeira fase, a campanha que se iniciou no dia 05 tem o carácter pedagógico, levando ao conhecimento do público a recém-publicada lei do uso obrigatório de máscara na via pública.
Numa ronda com elementos da PN pelas ruas do bairro da Boa Esperança durante uma campanha de sensibilização, a Inforpress constatou que a maioria das pessoas na via pública não usava máscaras, ao mesmo tempo que se notava algumas aglomerações.
Os agentes da PN falavam com as pessoas, explicando-as sobre a nova lei em vigor, e das suas implicações quando incumprida, ao mesmo tempo que em tom de apelo sensibilizavam-nas sobre a necessidade de se protegerem.
“Sim, ainda se nota alguma resistência nas pessoas, embora a maior parte já tem noção de que devem usar máscara na via pública, alguns simplesmente ignoram, ou ao avistarem a polícia retiram a máscara do bolso”, confirmou o comandante, assegurando que de um modo geral a campanha tem decorrido “na normalidade”, com acato de “bom grado” às acções de sensibilização.
Sem precisar a data, a mesma fonte avançou que “em breve” vão passar a outra fase da campanha, que será “um pouco mais agressiva”, com aplicação de coimas aos infractores, explicando, entretanto, que apesar de ainda se estar no período pedagógico “não implica que não se pode, ou não se vai aplicar coimas, ou outras medidas de repressão”.
“Mas continuamos a fazer esta campanha, e a partir de um certo momento que entendemos que toda a população esteja informada sobre a lei, a campanha de sensibilização deixa de existir e passa-se somente a aplicar coimas as pessoas mais resistentes”, frisou Evandro Sousa, informando que a campanha, que por agora acontece somente na cidade de Sal Rei, será extensiva às outras localidades da ilha da Boa Vista, nos próximos dias.
O uso de máscara ao ar livre passou a ser obrigatório, salvo algumas excepções, desde o dia 05, e o não cumprimento desta imposição é punido com multas de 1.500 a 15 mil escudos.
Ficam de fora desta obrigação os menores de 10 anos e pessoas com problemas de saúde, aplicando-se a mesma em todo o território nacional, a pessoas em situação de contacto próximo na via pública que não partilhem a mesma residência, embora com excepções também para a prática de educação física com distanciamento social e prática de etiqueta respiratória.
Este regime vai substituir o que estava em vigor desde 02 de Setembro, cujo decreto-lei estipulava o uso de máscara facial nos espaços públicos como um “dever cívico de todos os cidadãos” e que “a actuação das forças e serviços de segurança” teria apenas “carácter pedagógico e orientador”.
O incumprimento da actual obrigatoriedade dá origem a aplicação de coimas, como já se referiu, cujas receitas vão se reverter a favor do Serviço Nacional de Protecção Civil (SNPC) e do Instituto Nacional da Saúde Pública (INSP).

Dans la même catégorie