AGP Guinée/Championnat ligue1 : Le Horoya respire devant la SAG, le Fello Star renoue avec la victoire face aux Eléphants de Coléah et l’AS Kaloum battue par l’ASFAG AGP Kindia-Société : Un mort et plus de 600 millions GNF emportés dans conflit domanial à Friguiagbé AGP Kérouané-Education : Le district de Gboodou doté d’une école primaire moderne AGP Guinée-Accident de la circulation : Une cause de mortalité non négligeable ! GNA Assin North and Adansi South DISECs move to maintain peace GNA Ghana Mission in Washington, others donate $59,850 to COVID-19 Fund GNA Orange Support Centre will address SGBV issues in Ghana – UNFPA APS LE JARAAF S’ENGAGE À PAYER LA CAUTION POUR LAMINE DIACK ‘’D’ICI UNE QUINZAINE DE JOURS’’ (PRÉSIDENT) AGP Boké-Ramadan: La Fondation AMA offre des vivres à la population de la Commune Urbaine ANP La Ville de Niamey baptise deux places publiques des noms de Mounkaila Sakoira et Cheick Chaibou Ali

Brexit: Ministro diz que interessa ao País estreitar relações com o Reino Unido


  4 Janvier      22        Politique (16178),

   

Cidade da Praia, 04 Jan (Inforpress) – O ministro dos Negócios Estrangeiros disse hoje que Cabo Verde tem todo o interesse em estreitar as suas relações com o Reino Unido fora da União Europeia, por se tratar de um país “muito importante” para o arquipélago.
“O Reino Unido é um país importante para nós, pelo número de turistas que envia anualmente, tem dado um contributo muito importante na formação da riqueza nacional”, indicou Luís Filipe Tavares, em entrevista à Inforpress, a propósito da saída do Reino Unida da União Europeia, Brexit.
Revelou que durante o ano ora findo, as autoridades cabo-verdianas trabalharam com as suas homólogas britânicas para a retoma das actividades turísticas, que foram interrompidas pela pandemia da convid-19.
“Agora, com as vacinas temos uma grande esperança no sentido de, rapidamente, eles [os britânicos] controlarem a pandemia e poderem viajar livremente para o mundo inteiro, nomeadamente para Cabo Verde,” afirmou o chefe da diplomacia cabo-verdiana, destacando a importância que o Reino Unido representa para Cabo Verde.
Lembrou que em 2020 o Governo tinha previsto abrir uma embaixada ou consulado geral no Reino Unido, mas tal, segundo ele, não foi possível, porque a pandemia da covid-19 mudou as prioridades, tendo em conta as novas necessidades do País.
“Vamos analisar para ver se em 2021 teremos as condições de termos, pelo menos, um consulado geral em Londres para atendermos às comunidades cabo-verdianas espalhadas pelo Reino Unido”, admitiu, acrescentando que hoje há muitos cabo-verdianos que foram de Portugal e vivem nesse país e, por isso, precisam de um “atendimento consular”.
Cabo Verde e o Reino Unido têm cooperação bilateral há muito tempo, mas reconheceu o ministro, o arquipélago quer “aprofundar” essas relações, nomeadamente no sector das pescas, energias renováveis, e tecnologias de informação e comunicação, e Londres, enquanto uma “grande praça financeira mundial”, interessa o País.
Luís Filipe Tavares avançou à Inforpress que, no ano passado, teve a oportunidade de falar com o ministro para os Assuntos Africanos do Reino Unido sobre o interesse das autoridades cabo-verdianas em consolidar ainda mais as relações entre os dois países.
Segundo ele, na altura, o governante britânico manifestou-lhe o desejo de o seu país em “aprofundar as relações de cooperação” com a África, depois da sua saída da União Europeia.
“Os países da União Europeia, no geral, elegeram a África como continente com o qual devem estreitar as suas relações de cooperação bilateral e é o que o Reino Unido está a fazer”, enfatizou o governante cabo-verdiano, adiantando que o arquipélago, devido às suas relações de muitos anos com o país de sua majestade, vai trabalhar no sentido de intensificar esta cooperação.
A pandemia da covid-19 atrasou alguns projectos em carteira previstos para o ano 2020, porque o País esteve fechado desde Março e só há pouco tempo abriu as suas fronteiras.
“Esta pandemia foi, para nós, uma grande lição, pois, para além de aumentar a nossa capacidade de resiliência, mostrou que devemos trabalhar para diversificarmos a nossa economia”, observou o responsável do departamento governamental dos Negócios Estrangeiros, que defende que neste processo Cabo Verde deve envolver os seus cidadãos, quer fora, quer dentro do País.
Para o ministro dos Negócios Estrangeiros e Comunidades, Luís Filipe Tavares, a situação pandémica que está a afectar o mundo mostra que “sem a saúde não há economia”.
“Vamos ter que trabalhar para diversificarmos a nossa economia e mobilizar os cabo-verdianos para os desafios que temos pela frente”, asseverou o ministro dos Negócios Estrangeiros que reitera o desejo de Cabo Verde no sentido de dar uma “atenção muito particular” na sua relação com o Reino Unido.
“Temos todo o interesse em desenvolvermos as nossas relações comerciais, económicas, sociais e políticas com o Reino Unido”, advogou Luís Filipe Tavares, concluindo que Cabo Verde quer “beber da experiencia” deste país no domínio da economia marítima, desenvolvendo projectos de cooperação nesse sentido.
De acordo com dados estatísticos de 2018, o Reino Unido foi o principal país emissor de turistas para Cabo Verde, sendo eles os que permaneceram mais tempo no País, com uma estadia média de 8,5 noites.
Entretanto, a antecipar a saída da Inglaterra da União Europeia, Cabo Verde, ao isentar de vistos os cidadãos dos países membros, contemplou também os do Reino Unido.

Dans la même catégorie