AIP Des commerçants de Daloa reçoivent leurs cartes professionnelles AIP Inter/ Les femmes en Afrique sont moins infectées par la Covid-19, selon l’OMS AIP Journée de la femme 2021: Les femmes du Bounkani invitées à plus de solidarité et de cohésion AIP Législatives 2021: 171 agents électoraux formés à Botro GNA Eastern Region library opens entries for ‘magic’ pen writing contest GNA NCCE reactivates Civic Education Club in basic schools GNA Low utilization of treated bed nets thwarting Ghana’s zero malaria efforts INFORPRESS Ilha do Maio vai ter um núcleo local de luta contra cancro – presidente da ACLCC INFORPRESS Carlos Veiga anuncia candidatura “independente e de cidadania” à Presidência da República INFORPRESS Governo e Correios de Cabo Verde instituem selo Cabo Verde no Mundial

Caju/ Presidente do ANINGB qualifica de positiva a campanha de comercialização 2019/2020


  10 Février      17        Société (29481),

   

Bissau, 10 Fev 21 (ANG) – O Presidente da Associação Nacional dos Intermediários dos Negócios da Guiné-Bissau (ANINGB) qualificou hoje de positivo o balanço da campanha de comercialização da castanha de caju do ano findo.

Em declarações a Agência de Notícias da Guiné(ANG) em jeito de balanço da campanha de comercialização de caju 2019/2020, Lassana Sambú justificou a sua opinião com o facto de  terem conseguido  atingir  80 por cento da previsão da comercialização da castanha de caju.

Disse ainda que conseguiram exportar 152 mil toneladas da castanha do ano passado.

Lassana Sambú lamentou a falta de controlo que resultou na fuga de muita  castanha por via terrestre e que teve como consequência perdas de receitas pelo Estado.

Questionado sobre o fundo de 15 mil milhões de franco cfa disponibilizado pelo governo através dos bancos comerciais para apoiar os intervenientes na fileira da caju, Lassana Sambú disse que  o dinheiro veio a ser usado só no final da campanha, beneficiando apenas os clientes dos bancos.

Disse que o referido fundo deveria ser usado com um critério simples, onde o executivo devia servir de garantia para que todos os intervenientes no sector possam ter acesso ao crédito, para resgatar a castanha nas mãos dos agricultores. “Mas, não foi o caso”, disse.

Para além disso, de acordo com o Presidente (ANINGB)  a campanha foi  afectada pela pandemia de covid-19, porque quase 70 por cento dos potenciais compradores da castanha não conseguiram vir à Bissau, devido ao encerramento dos aeroportos.

Instado a falar da campanha de castanha deste ano,  Lassana Sambu disse que estão a trabalhar, e que  o governo aprovou recentemente em Conselho de Ministros, um conjunto de diplomas em substituição do Decreto lei número 3/ 2005 que regulamenta o  funcionamento de todos os intervenientes da fileira de caju.

O Presidente da ANINGB disse que, se os diplomas aprovados pelo governo foram aplicados na totalidade, a campanha poderá ser bom.

Dans la même catégorie