ANP Lutte contre le Covid 19 : Le HCR fait don du matériel sanitaire à la Région de Tahoua ANP Coronavirus : Le Maire de la ville de Niamey appelle au respect des mesures de l’isolement ANP Le Ministère de la Santé Publique du Niger met en garde contre l’automédication à la Chloroquine ANP Des bonnes volontés se manifestent contre le COVID 19 au Niger, où 77 cas pour 4 décès sont enregistrés AGP Guinée-Coronavirus : Le cas de Labé porte à 31, le nombre de cas confirmés de Covid-19 APS LA REPRISE DES ENSEIGNEMENTS SCOLAIRES ET UNIVERSITAIRES REPORTÉE AU 4 MAI AIP Le nombre de malades de COVID 19 en Côte d’Ivoire passe à 190 avec 11 nouveaux cas (Ministre) AIP COVID 19: Mariatou Koné distribue des kits hygiéniques et des vivres à des communes et ONG AIP COVID19: Au total 473 personnes interpellées pour non respect du couvre-feu APS DES PERSONNALITÉS DU FOOTBALL CONTINUENT DE RENDRE HOMMAGE À PAPE DIOUF

Cap vert: SITTHUR exige da administração da TACV o pagamento das pensões dos trabalhadores que aderiram ao processo da pré-reforma


  12 Septembre      39        Emploi (199), Photos (3857), Société (16790),

   

Cidade da Praia, 12 Set (Inforpress) – O SITTHUR quer que a administração da TACV garanta o pagamento das pensões dos trabalhadores que aderiram ao processo de pré-reforma, uma vez que o Governo garantiu que a empresa será privatizada até ao final do ano.

Em declarações à Inforpress, o secretário permanente do Sindicato dos Transportes, Telecomunicações Hotelaria e Turismo (SITTHUR), Carlos Lopes adiantou que o acordo entre a Direcção Geral do Tesouro, o Instituto Nacional de Previdência Social (INPS) e a administração da TACV, anunciado em Dezembro do ano passado, ainda não foi assinado.

Segundo explicou, o acordo visa dar garantias quanto ao pagamento das pensões de reforma futuras dos trabalhadores, do processo de pré-reforma, e vai transferir a gestão das mesmas para o INPS.

Tendo em conta que o Governo anunciou que o processo de privatização da Cabo Verde Airlines “ficará concluído” até ao final do ano, o sindicalista avançou que há uma “incerteza muito grande” no seio dos trabalhadores, uma vez que não há garantias sobre as respectivas pensões e que, a par dessa situação, as pensões são pagas com “sucessivos atrasos”.

Explicou que em relação aos outros programas de reforma antecipada, o INPS tem recebido das empresas os valores correspondentes aos descontos quer dos trabalhadores quer dos empregadores até a data que o trabalhador atingir a idade da reforma oficial, que é 60 para mulheres e 65 para homens.

AV/ZS

Inforpress/Fim

Dans la même catégorie