ACP Covid-19 : la RDC est à l’entrée d’une deuxième vague de l’épidémie due au relâchement des gestes barrières, selon le Dr Muyembe ACP Nord-Kivu : le fonds social de la RDC lance les travaux de pavage des quelques axes routiers de la ville de Goma ACP Restitution de la mission d’inspection des sites d’installation des ZES en RDC ANG Gestão fundos públicos/Observatório da Democracia e Governação considera “pouco transparente” OGE/ 2020 ANG ACNUR / Censo sobre refugiados para efeitos de naturalização entra na fase conclusiva ANG Justiça/Ministro afirma que é chegado o momento de tomada de grandes decisões sobre funcionamento do sector GNA Africa Universities urged to develop vaccine for Covid-19 GNA GCB Bank Ltd retools Kumasi Judicial Service Clinic GNA Ablekuma Municipal Assembly showcases its achievements AIP Côte d’Ivoire-AIP/International/ La BAD maintient le cap du document de stratégie-pays (DSP) 2017-2021 à Madagascar

Cinema: Cabo Verde deve se adaptar ao desafio da pandemia e potencializar as produções locais – cineasta


  30 Octobre      13        Cinéma (164),

   

Cidade da Praia, 30 Out (Inforpress) – O cineasta brasileiro Joel Zito Araújo defendeu, na cidade da Praia, que a pandemia da covid-19 trouxe grandes mudanças no cinema mundial e que Cabo Verde deve se adaptar a esse desafio e potencializar as produções locais.
A constatação foi feita esta quinta-feira durante o webinário para reflectir os impactos da covid-19 no sector, organizado pela Associação de Cinema e Audiovisual de Cabo Verde (ACACV).
Segundo, o cineasta, que reside actualmente na cidade da Praia, o confinamento adveniente da covid-19 veio proliferar o hábito de ver filmes através das plataformas digitais e mudar a forma de fazer cinema.
Joel Zito Araújo apontou, por isso, que os cineastas de todo mundo, incluindo os dos países de lusófonos, têm que potencializar as produções locais para que sejam assistidos pelos jovens através das plataformas digitais.
No caso de Cabo Verde, o cineasta defendeu que o país tem que tirar vantagem com produções culturais locais através de implementações políticas direccionadas para a produção de filmes para as plataformas digitais.
Apontou, contudo, que este período de paragem na produção cinematográfica, imposta pela pandemia, deve servir para os cineastas trabalharem a nível de planeamento e gestão de roteiros.
Participam nestes debates, que decorrem até 05 Novembro, profissionais do sector de Cabo Verde, São Tomé e Príncipe, Açores, Canárias, Madeira, Brasil, Cuba e Estados Unidos e a intenção no final é estreitar laços com as entidades ligadas ao sector desses países.

Dans la même catégorie