APS UNE ASSOCIATION VEUT PUBLIER UNE BANDE DESSINÉE SUR LES PROBLÈMES ENVIRONNEMENTAUX APS HAJJ : LA DÉLÉGATION GÉNÉRALE AU PÈLERINAGE RENCONTRE LES VOYAGISTES ET DES PÈLERINS DE THIÈS MAP Le Maroc, un partenaire de référence pour l’Andalousie (président du gouvernement andalou) GNA ‘Karela players are aiming at historical achievement’ – Alagidede ACI LA MAIRIE DE BACONGO ORGANISE «UN VILLAGE RÉCRÉATION » EN JUILLET PROCHAIN ACI CONGO: NÉCESSITE DE CRÉER LE TITRE HONORIS CAUSA A UNIVERSITÉ MARIEN NGOUABI GNA Togbe Afede to bury mother June 29 GNA Petroleum Commission secures training for Ghanaian students in Canada GNA NDC Activist calls for fairness in employment opportunities GNA Government releases new Tertiary Education Policy Reforms

CNPD dá parecer positivo ao projecto “Cidade Segura” e deixa recomendações para a utilização de videovigilância


  1 Février      37        Téchnologie (943),

   

Praia, 01 Fev 2018 (Inforpress) – A Comissão Nacional de Protecção de Dados (CNPD) emitiu parecer positivo sobre a implementação do projecto “Cidade Segura” e deixou algumas recomendações quanto à utilização do sistema de videovigilância e o uso correcto dos dados.
Essa apreciação, segundo uma nota emitida pela CNPD, aconteceu após o pedido de um parecer solicitado pelo ministro da Administração Interna, quanto à utilização do sistema de videovigilância, na cidade da Praia, em espaços públicos e em locais de acesso vedado ou condicionado ao público.
No entanto, antes de emitir o seu parecer, a CNPD lembrou que a opinião da instituição está também vinculada aos aspectos negativos, ou seja, em relação às restrições ou limitações nele expostas, podendo, inclusive, de acordo com o disposto no nº 4 do artigo 8 da lei de videovigilância, impedir que a autorização seja concedida, se o seu sentido for globalmente negativo.
Neste processo, indica a CNPD, a Policia Nacional, enquanto responsável pela gestão do Centro de Comando e Controlo Operacional, será a entidade responsável pelo tratamento dos dados, destacando elementos da corporação para realização dos procedimentos referentes à conservação, disponibilização e eliminação dos dados, assim como definição do quadro de responsabilidades específicas.
Ainda de acordo com o parecer da CNPD, antes do funcionamento da videovigilância, deverá ser desencadeada uma campanha de informação e sensibilização, a nível nacional, sobre a finalidade do sistema, necessidade de sua preservação e a garantia dos direitos individuais, de acordo com a lei de videovigilância e Portaria nº 56/2015, de 13 de Novembro.

Dans la même catégorie