MAP Hasna Ammar, une militante infatigable pour l’autonomisation des femmes rurales à Aoufous AIP Législative 2021: Démarrage du dépouillement des votes à San-Pedro AIP Législatives 2021 : Koné Kafana se réjouit du bon déroulement du scrutin à Yopougon AIP Législatives 2021: Les bureaux de vote d’Abobo ferment leurs portes AIP Législatives 2021: Des urnes brûlées à Gomon AIP Législatives 2021: Un scrutin relativement apaisé à Port-Bouët malgré quelques incidents AIP Législatives 2021 : scrutin paisible à l’intérieur du pays AIP Législatives 2021 : Angustin Thiam et prône le fairplay MAP Béni Mellal-Khénifra: Création de « clubs du dialogue et de la coexistence » dans plusieurs établissements d’enseignement AIP Législatives 2021: les bureaux de vote ont fermé à Dimbokro

Comércio/OMC pela primeira vez dirigida por uma africana Ngozi Okonjo Ieweala


  17 Février      13        Economie (11261),

   

Bissau,17 Fev 21(ANG) – Pela primeira vez uma uma mulher e, no caso, uma africana, chegou à liderança da Organização Mundial do Comércio(OMC).

A nigeriana Ngozi Okonjo Ieweala, antiga ministra das finanças promete reformar o que não é reformável e assume-se optimista quanto a ultrapassar o impasse em que está mergulhada a OMC.
A antiga ministra nigeriana das finanças entra na história ao chegar à liderança da OMC, quando há apenas 3 meses, a administração Trump lhe tinha bloqueado o acesso ao cargo.

Com 66 anos, Ngozi Okonjo Ieweala estudou economia do desenvolvimento em Harvard, nos Estados Unidos, antes de integrar o governo nigeriano, com a estratégica pasta das finanças, onde deu nas vistas ao obter um acordo visando a anulação de biliões de dólares da dívida do seu país para com o Clube de Paris.

« Reformar o que não é reformável » eis o que ela promete, afirmando-se segura de poder resolver os problemas com que a organização sedeada em Genebra se debate.

Ieweala deve procurar avanços nas negociações do comércio internacional, em larga escala dominadas pelo triângulo Estados Unidos / União Europeia / China.

Num contexto de tensão entre Pequim e Washington ou do proteccionismo reforçado pela pandemia no ano passado.

Subsídios para o sector da pesca são outro tema delicado, bem como o facto da organização ter de desistir dos direitos de propriedade intelectual sobre os bens essenciais na luta contra o coronavírus.

Dans la même catégorie