MAP Le Président kényan ordonne au gouvernement de moderniser et de rénover neuf stades d’ici fin décembre ANGOP Covid-19: Angola regista 82 novos casos APS ’’Le Joola’’ : tous les orphelins ’’laissés en rade’’ seront pris en charge par l’Etat (ministre) APS Les ‘’académiciens’’ cartonnent aux examens scolaires APS Don de sang : près de 1600 poches collectées à Kaffrine entre janvier et août APS ’’Le comportement humain, responsable de 40 % des cancers’’’ (spécialiste) ANP Ville de Niamey : Le Président de la délégation spéciale sur les sites de réhabilitation des éclairages publics AGP Mamou-Education : 489 dont 202 filles admis au Bac AGP BAC Unique/2020 : 38 931 candidats dont 13 387 filles admis pour cette année. AGP Nzérékoré- Présidentielle 2020 : Vulgarisation du manuel de transparence des opérations électorales

Covid-19: Guias turísticos dizem-se “revoltados” com a falta de apoio do Governo 


  31 Août      5        Economie (9747),

   

Cidade da Praia, 31 Ago (Inforpress) – Guias turísticos de Cabo Verde manifestaram-se hoje “revoltados” pela forma como o Governo está a tratar a classe face a situação da pandemia da covid-19 e pela “falta de apoio” que tem deixado muitos em situação difícil.

O desagrado foi revelado hoje por grupos de guias turísticos que saíram às ruas nas ilhas do Sal, São Vicente, Santiago e Santo Antão, para manifestar o descontentamento e “falta de consideração” pela “situação crítica” pela qual passam muitos deles.

Andy Delgado, guia turístico de Santiago, disse à Inforpress que não estão satisfeitos com a forma como o Governo está a lidar com a situação dos guias turísticas a nível nacional, uma vez que a classe é uma das mais afectadas pela pandemia, e até a data não receberam nenhum tipo de apoio ou subsídio.

“Outros sectores foram contemplados com apoio, mas nós não recebemos nada, é uma situação que nos deixa revoltados”, referiu lembrando que estão no desemprego há cinco meses, tem responsabilidades, famílias e despesas por pagar.

O guia turístico avançou que como medidas, o executivo apresentou uma formação que teve início na semana passada, e cujos seleccionados vão receber um subsídio, mas contempla apenas alguns guias.

Para Andy Delgado, tendo em conta que todos os guias promovem o turismo internacional em Cabo Verde, todos deviam ser englobados.

“Temos as nossas responsabilidades (…), pagamos impostos, somos consumidor não podemos ser ignorados mais uma vez pelo Governo”, lamentou o guia turístico, que pede que a classe seja apoiada com um subsídio.

Andy Delgado considerou que a situação actual é difícil e tende a pior já que não há uma previsão de quando é que o país vai começar a receber turistas.

O guia turístico fez saber que ele próprio chegou a inscrever-se na plataforma para receber o subsidio de 10 mil escudos, mas nunca chegou a receber nada.

O presidente da Associação de Guias turistas de Santiago, Sady Monteiro, revelou à Inforpress que dos encontros que tiveram com o Governo, o executivo deixou bem claro que não vão apoiar a classe com um subsídio alegando que a mesma precisa de ser organizada.

“Desde que o estado de emergência foi declarado, nem todos os guias receberam o apoio de subsídio nem os 10 mil escudos que o Governo disponibilizou para outros sectores afectados com a pandemia da covid-19”, mencionou.

Sady Monteiro disse que neste momento muitos dos guias estão em situação “critica”, e poderá ficar ainda pior já que o País não tem uma previsão para a retoma dos turistas.

Revelou que neste momento a Associação de Guias Turistas de Santiago tem mais de 60 associados.

Dans la même catégorie