ANP Des parlementaires sur le Chantier du 3ème pont, au Centre National de traitement du permis biométrique et à la Soniloga ANP Fin à Niamey de la 1ère session ordinaire du Conseil Economique, Social et Culturel (CESOC) ANP Région de Zinder : Un accident de circulation entre deux véhicules de transport fait 18 morts APS APPEL À LA PROMOTION DE RÉGIMES ALIMENTAIRES SAINS POUR ENDIGUER LA FAIM APS L’AFRIQUE POURRAIT ABRITER PLUS DE LA MOITIÉ DES PERSONNES SOUFFRANT DE LA FAIM CHRONIQUE EN 2030 (FAO) APS COVID-19 : PLUS DE 130 MILLIONS DE PERSONNES POURRAIENT BASCULER DANS LA PAUVRETÉ EN 2020 (ÉTUDE) APS PRÈS DE 690 MILLIONS DE PERSONNES ONT SOUFFERT DE LA FAIM EN 2019 (FAO) APS ’’BOURSES D’ACCOMPAGNEMENT’’ : LES PRÉCISIONS DE LA DIRECTION GÉNÉRALE DE L’ENSEIGNEMENT SUPÉRIEUR APS PLUS DE 510 MILLIONS DE FRANCS RÉPARTIS AUX ARTISTES EN 2019 (SODAV) APS UN POINT FOCAL SE FÉLICITE DES RÉSULTATS DU PROGRAMME ’’BADIÈNU GOX’

Covid-19/ Mais de 100 trabalhadores de hotel Leadger Líbia Hotel mandados para casa


  4 Juin      17        Société (20663),

   

Bissau, 04 jun 20 (ANG) – Mais de 100 colaboradores do Hotel Leadger Líbia  foram mandados para casa, por falta de clientes devido à pandemia do novo coronavírus, disse a Lusa o porta-voz do comité de trabalhadores daquele estabelecimento hoteleiro.
Tumane Seidi disse que a administração do Leadger Líbia Hotel, propriedade da empresa Laiko, comunicou a intenção de suspender o contrato dos colaboradores, a partir de 01 de junho e até agosto, alegando que o hotel está sem clientes.
A medida irá afetar mais de 100 colaboradores, observou Seidi, que a considera ilegal à luz do decreto do estado de emergência emitido pelo Presidente guineense, Umaro Sissoco Embaló, que proíbe o despedimento dos funcionários durante a vigência da medida.
O comité de trabalhadores do hotel vai escrever, ainda hoje, cartas para Umaro Sissoco Embaló, para o primeiro-ministro, Nuno Nabian, para a ministra dos Negócios Estrangeiros, Suzi Barbosa, e para a embaixada da Líbia em Bissau.
« Queremos saber o que será de nós, porque não estamos a compreender o que se passa », afirmou Tumane Seidi.
Os trabalhadores estão a tentar fazer a administração do hotel voltar atrás com a medida, mas se até sexta-feira não houver entendimento,  provêm realizar uma vigília à porta do estabelecimento para impedir a entrada de pessoas.
Tumane Seidi disse que « o mais caricato » é o facto de antes de comunicar a decisão de suspender os contratos « que muitos nem têm », a administração do hotel ordenou que muitos colaboradores entrassem de férias e quando retomaram o serviço foi-lhes dito que deviam ficar todos em casa.
Seidi acusa a administração do hotel de não estar a pagar os descontos dos trabalhadores na Segurança Social desde 2016.
A Lusa refere que tentou sem sucesso  uma reação da administração do hotel.
No âmbito do combate à covid-19, o Presidente guineense prolongou, pela quarta vez, o estado de emergência até 10 de junho.
A Guiné-Bissau registou desde março mais de 1.300 casos de infeção por covid-19 no país, que já provocou oito vítimas mortais.
Em África, há 4.601 mortos confirmados em mais de 162 mil infetados em 54 países, segundo as estatísticas mais recentes sobre a pandemia naquele continente.
A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 382 mil mortos e infetou mais de 6,4 milhões de pessoas em 196 países e territórios.
Mais de 2,7 milhões de doentes foram considerados curados.

Dans la même catégorie