MAP Sénégal: la candidature à la présidentielle n’est pas une condition pour obtenir la liberté provisoire (ministre de la justice) MAP Conférence sur le rôle de la Fondation Mohammed VI des Ouléma Africains dans la préservation de la sécurité spirituelle en Afrique les 24 et 25 février à Kampala MAP Gabon: Huit morts et plusieurs blessés dans un accident de la circulation MAP Afrique du Sud: les élections générales fixées au 29 mai (Présidence) MAP Nucléaire: Les actions en faveur du continent africain constituent une priorité stratégique pour le Maroc (Ambassadeur) MAP Somalie: un attentat à Mogadiscio fait 5 morts MAP Sénégal/Présidentielle 2024 : Le Conseil Constitutionnel entérine la liste définitive des 19 candidats MAP IOSCO : Mme Hayat réélue à la présidence du Comité Régional Afrique et Moyen-Orient MAP Gabon: La croissance devrait s’établir à 3% en 2024 (FMI) MAP La désintégration de la société sud-africaine, résultat de la dépossession des Noirs de leurs terres (étude)

Covid-19: Primeiro-ministro declara fim do estado de contingência e entrada em situação de alerta


  28 Octobre      27        Santé (15211),

 

Cidade da Praia, 28 Out (Inforpress) –  O primeiro-ministro declarou hoje, na Cidade da Praia, a saída do estado de contingência para a situação de alerta, devido à “melhoria dos principais indicadores”  internacionalmente definidos,  em relação à pandemia da covid-19.
“Com base na evolução positiva do quadro epidemiológico e da vacinação o Governo declara a saída   da situação de contingência   para a situação de alerta em todo o território”, declarou Ulisses Correia e Silva, apontando que há uma tendência de “estabilização” da pandemia da covid-19 no país.
Num comunicado dirigido País, tendo em conta os dados actuais da covid-19, o chefe do Governo alertou, no entanto, para o facto de o novo coronavírus ainda não ter desaparecido, advertindo, por isso, que o alívio das restrições exige a manutenção de medidas de prevenção e de contenção, nomeadamente no uso de máscaras e a higienização das mãos por parte dos cidadãos.
Neste sentido, apontou que   é preciso continuar o esforço de vacinação, quer na primeira, quer na segunda dose, assim como o reforço das acções nos municípios de Santa Catarina, Tarrafal e São Salvador do Mundo, que registam “uma taxa de vacinação ainda inferior aos 70 por cento (%)”.
Em relação às medidas que passam a vigorar com a saída da situação de contingência para a situação de alerta, indicou o funcionamento de estabelecimentos com actividade de dança, o levantamento de limitação de lotação em eventos culturais, desportivos, artísticos, recreativos e de lazer, realizados em recintos e espaços com controlo de entradas.
“O funcionamento das boîtes, discotecas, pub dancing e clubes é permitido até às 04:00. Só podem operar os estabelecimentos licenciados que cumpram as normas sanitárias e exijam a apresentação, pelos clientes, trabalhadores e prestadores de serviço, de certificado covid-19 de vacinação válido, com o esquema vacinal completo (duas doses)”, precisou.
Ainda em relação a esses espaços informou que deixam de ter limites de lotação por motivos sanitários, desde   que o cidadão apresente o certificado de vacinação ou duas doses de vacina.
“A realização de festivais, festas de romaria e similares, está condicionada à autorização prévia pelas autoridades sanitárias competentes. Só serão autorizadas se for possível proceder a verificação de certificado de vacinação e assim não constituírem um risco sanitário no contexto da pandemia ainda vigente”, acrescentou.
Quanto ao uso de máscaras, Ulisses Correia e Silva avançou que com a declaração da situação de alerta deixa de ser obrigatória a utilização de máscara na via pública em todo o País.
“Mas continua a ser recomendável o uso de máscara perante qualquer situação de aglomeração de pessoas. A utilização de máscara facial em espaços fechados de atendimento ao público mantém-se obrigatória”, esclareceu Ulisses Correia e Silva, considerando, contudo, que Cabo Verde tem “estado a dar um bom combate e com resultados”.
“Termino com um sentimento de optimismo, mas ao mesmo tempo com a indicação clara de que o combate contra a covid-19 ainda não está ganho. É preciso continuar a proteger porque o vírus circula por aí e pode infectar as pessoas. É preciso continuar e reforçar a disponibilidade de cada cabo-verdiano para a vacinação”, concluiu.

Dans la même catégorie