ACP Participation du ministre des Finances Sele Yalaghuli à la réunion du G20 des Finances ACP Le SYECO et le SYNECAT appellent le premier ministre à résoudre les problèmes liés à la gratuité de l’enseignement ACP Appel au Premier ministre à plus de rigueur dans le choix des membres du gouvernement ACP Relance des échanges commerciaux entre l’Afrique du Sud et la RDC APS DES FEMMES DE L’OPPOSITION DÉNONCENT L’ARRESTATION DE MILITANTES DE PASTEF APS LIGUE 1 : DIAMBARS REMPORTE LE DERBY DE LA PETITE-CÔTE ET CONSOLIDE SON FAUTEUIL DE LEADER APS BIENTÔT UNE ACADÉMIE DE LA MUSIQUE DÉDIÉE AUX FEMMES APS PROLONGATION DE L’EXPOSITION DÉDIÉE À LÉONARDO DE VINCI AU MCN 7 MARS APS « JIGEEN ÑI », DES INSTRUMENTISTES PASSIONNÉES À L’ASSAUT DE LA SCÈNE APS UN PREMIER ALBUM DE « JIGEEN ÑI » AVANT JUIN, UNE AMBITION DE CONQUÉRIR LE MONDE À TERME

Covid-19/Mundo regista 2,22 milhões de mortes desde o início da pandemia


  1 Février      16        Santé (9446),

   

Bissau, 01 Fev 21(ANG) – A pandemia do novo coronavírus matou pelo menos 2.227.605 pessoas em todo o mundo desde que a China relatou o primeiro caso da doença no final de Dezembro de 2019, segundo o balanço diário da agência France-Presse (AFP).

Mais de 102.878.810 casos de infecção foram oficialmente diagnosticados desde o início da epidemia, dos quais pelo menos 62.454.800 já são considerados curados.

Nas últimas 24 horas, registaram-se mais 8.457 óbitos e 404.266 novos casos da doença covid-19 em todo o mundo, segundo os dados reunidos pela agência noticiosa francesa.

A AFP esclarece que estes números estão fundamentados nos balanços fornecidos diariamente pelas autoridades sanitárias de cada país e excluem as revisões realizadas posteriormente por organismos de estatística, como ocorre na Rússia, Espanha e no Reino Unido.

Os países que assinalaram o maior número de novas mortes nos seus relatórios mais recentes são os EUA, com 1.955 novas mortes, Reino Unido (487) e Brasil (559).

Os EUA são o país mais afectado em termos de mortes e casos, com 441.331 mortes para 26.187.424 casos, de acordo com a contagem da Universidade Johns Hopkins.

Seguem-se o Brasil, com 224.504 óbitos e 9.204.731 casos, o México, com 158.536 óbitos e 1.864.260 casos, a Índia, com 154.392 óbitos e 10.757.610 casos, e o Reino Unido, com 106.158 mortos e 3.817.176 casos.

Entre os países mais atingidos, a Bélgica continua a ser o que apresenta o maior número de mortes em relação à sua população, com 182 mortes por 100.000 habitantes, seguida pela Eslovénia (168), Reino Unido (156), República Checa (153) e Itália (146).

Por regiões do mundo, a Europa totaliza até hoje (às 11:00 em Lisboa) 738.573 mortes em 33.409.695 casos confirmados, a América Latina e as Caraíbas somavam 597.439 mortes (18.924.598 casos), os Estados Unidos e Canadá 461.347 mortes (26.964.985 casos), a Ásia 240.696 mortes (15.234.753 casos), o Médio Oriente 97.626 mortes (4.743.191 casos), a África 90.469 mortes (3.555.504 casos) e a Oceânia 945 mortes (31.707 casos).

Desde o início da pandemia, o número de testes de diagnóstico realizados aumentou significativamente e as técnicas de despistagem e rastreio melhoraram, levando a um aumento nas infecções registadas e declaradas.

No entanto, a AFP alerta que o número de casos diagnosticados reflecte apenas uma fracção do número total de infecções, com uma grande proporção dos casos menos graves ou assintomáticos a nem sempre serem detectados.

Este balanço foi realizado a partir de dados recolhidos pelas delegações da AFP junto das autoridades nacionais competentes e de informações da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Devido a correcções feitas pelas autoridades ou a notificações tardias, o aumento dos números diários pode não corresponder exactamente aos dados publicados no dia anterior, segundo referiu a AFP.

Dans la même catégorie