AGP Gabon: L’Institut Français du Gabon rouvre ses portes au public AGP Gabon/Justice: Les séminaristes édifiés sur le nouveau Code civil gabonais APS CANCERS DU COL DE L’UTÉRUS ET DU SEIN : 90% DES FILLES VACCINÉES À KAFFRINE APS HUIT NOUVEAUX CAS DE COVID-19 AGP Gabon: Délibération du BEPC et CEP à partir de ce dimanche 25 octobre AIP Côte d’Ivoire-AIP/ COVID-19: Don d’une Fondation à des structures du ministère en charge de la Santé AIP Côte d’Ivoire-AIP/ Présidentielle 2020: Des postes téléviseurs et décodeurs offerts aux chefs de village du secteur Sud de Niakara AIP Côte d’Ivoire-AIP/ Présidentielle 2020: Reprise des activités économiques à M’Bahiakro suite au couvre-feu GNA HUAWEI introduces huge storage, stellar audio setup Y6s smartphone GNA NPP’s number one position is a step forward- Veep

Covid-19/OMS opõe-se à imunidade de grupo


  13 Octobre      12        Santé (7778),

   

Bissau, 13 Out 20 (ANG) – A Organização Mundial da Saúde desaconselha a estratégia de deixar circular novo coronavírus para se atingir a chamada « imunidade de grupo », considerando que coloca « problemas científicos e éticos ».

Para a Organização Mundial da Saúde a livre circulação do Covid-19 não é a melhor solução para se conseguir a imunidade de grupo.

“Jamais, na história da saúde pública, a imunidade colectiva foi utilizada como estratégia para responder a uma epidemia, muito menos a uma pandemia. É um problema ético e cientifico, declarou o director geral da OMS, numa conferência de imprensa em Genebra.

Tedros Adhanom Ghebreyesus insistiu que deixar o vírus que provoca a covid-19 sem controlo « significaria infecções desnecessárias, sofrimento desnecessário e mortes desnecessárias ».

A pandemia do novo coronovirus já fez mais de um milhão de mortos no mundo, desde o início da doença na China, em Dezembro de 2019. Segundo a OMS, que cita diversos estudos epidemiológicos, a taxa de mortalidade ronda os 0,6%.

“Verificamos um forte aumento da taxa de mortalidade associada à idade, no geral ronda os 0,6% », anunciou Maria Van Kerkhove. A responsável pela gestão do Covid-19 na OMS acrescentou ainda que “pode parecer pouco, mas é muito mais elevado do que a gripe”.

O director-geral da OMS alertou para o facto de estudos de prevalência mostram que na maioria dos países 10% da população já foi infectada com o novo coronavírus.

Tedros Adhanom Ghebreyesus explicou igualmente que o mundo não tem conhecimento suficiente sobre a imunidade das pessoas que contraíram a Covid-19, sublinhado que várias pessoas voltaram a ser infectadas.

Por outro lado, combater a pandemia « não é uma escolha entre deixar o vírus à solta ou fechar um país », referiu.

Proteger os mais vulneráveis, evitar concentrações que amplifiquem os contágios são medidas de saúde pública que a OMS continua a defender.

Até ao momento nenhuma vacina contra a Covid-19 foi aprovada, mas várias empresas farmacêuticas lançaram testes clínicos.

“Existem cerca de 40 vacinas candidatas actualmente em ensaios clínicos, sendo que 10 delas estão na fase III, ou seja, fase final, o que nos permitirá conhecer a sua eficácia e segurança« , disse aos jornalistas a cientista-chefe da OMS, Soumya Swaminathan.

A médica considera que algumas empresas farmacêuticas podem ter « dados suficientes » para submeter aos reguladores uma vacina « já em Dezembro »Esperamos que uma série de testes comecem a fornecer dados no início de 2021”.

A pandemia de Covid-19 já provocou mais de um milhão e setenta e sete mil mortos e mais de 37,5 milhões de casos de infeção em todo o mundo. 

Dans la même catégorie