AIP La chefferie du département de Niakara reconnaissante au chef de l’État pour avoir sacrifié « son honneur et sa réputation » pour le peuple AIP La 22ème édition du prix Ebony reportée en janvier 2021 ANP Niamey : Le Premier Ministre reçoit le Sous-Directeur de l’Afrique Occidentale au Ministère français des affaires étrangères ANP Célébration à Dosso de la 7ème édition de la Journée Nationale de la liberté de Presse GNA Tema East NPP to report acts of violence to GNA Vote massively for NPP in the December polls-Addai GNA Some names missing from the special voting list GNA Election 2020: EC satisfied with progress of special voting GNA Special Voting starts in Ernest in UE GNA NDC government to absorb fees of tertiary students

Covid-19/Sal: Actuação da PN ao uso obrigatório de máscaras tem sido pedagógica – comandante local


  9 Novembre      3        Santé (8134),

   

Espargos, 09 Nov (Inforpress) – O comandante da Polícia Nacional (PN), no Sal, declarou hoje que a actuação da corporação policial face ao uso obrigatório de máscaras tem sido “de sensibilização”, com “abordagens pedagógicas e educativas” sobre a prevenção da pandemia.
Em entrevista à Inforpress, Orlando Évora explicou que se tratando de uma norma recente, a PN “não está ainda a pôr em prática a aplicação de coimas”, antes, pautando por uma “actuação pedagógica”, chamando igualmente atenção àqueles que fazem a utilização das referidas máscaras de forma incorrecta.
Ciente que a fiscalização não cabe somente à polícia, o comissário defende, entretanto, que esta “educação” para o uso de máscaras faciais, visando uma “melhor segurança sanitária”, deve também ser trabalhada através das escolas, e outras instituições, que não apenas a PN, Protecção Civil ou a Comissão da covid-19, instalada na ilha, já que é “muita gente a ter que ganhar esse hábito”.
“Estamos a fazer um trabalho de fundo, com um plano organizado, junto com os militares (…) a fazer patrulhamentos, sensibilizando as pessoas sobre o uso de máscaras, mas a qualquer momento podemos mudar a nossa forma de actuação, passando para a aplicação de coima, conforme lei”, referiu.
Entretanto, segundo o comandante Orlando Évora, “é notório” que a maioria das pessoas vem usando máscaras na via pública, embora outras, em menor número, têm ainda essa dificuldade.
Nesta medida, o apelo continua no sentido do cumprimento das normas e regras sanitárias, para a “prevenção da saúde de toda a gente, de toda a população cabo-verdiana”.
“Como cidadão, todos devem colaborar, cumprindo com as medidas sanitárias, mostrar que enquanto cidadão está a dar o seu contributo para o desenvolvimento deste País”, aconselhou.
O uso de máscaras ao ar livre passou a ser obrigatório, salvo algumas excepções, desde o dia 05, e o não cumprimento desta imposição é punido com multas de 1.500 a 15 mil escudos.
Ficam de fora desta obrigação os menores de 10 anos e pessoas com problemas de saúde, aplicando-se a mesma em todo o território nacional, a pessoas em situação de contacto próximo na via pública que não partilhem a mesma residência, embora com excepções também para a prática de educação física com distanciamento social e prática de etiqueta respiratória.
Este regime vai substituir o que estava em vigor desde 02 de Setembro, cujo decreto-lei estipulava o uso de máscara facial nos espaços públicos como um “dever cívico de todos os cidadãos” e que “a actuação das forças e serviços de segurança” teria apenas “carácter pedagógico e orientador”.
O incumprimento da actual obrigatoriedade dá origem a aplicação de coimas, como já se referiu, cujas receitas vão se reverter a favor do Serviço Nacional de Protecção Civil (SNPC) e do Instituto Nacional da Saúde Pública (INSP).

Dans la même catégorie