AIP Le maire d’Aboisso pour l’implication des populations dans la gestion de la commune AIP Des équipements et des vivres à une pouponnière de Soubré AIP Série d’incendies « mystérieux » de domiciles à Latokaha MAP Mali : Le SG de l’ONU condamne une attaque contre les Casques bleus MAP Des plasticiens marocains et africains participent à une exposition d’art collective APS L’EXPOSITION DES ŒUVRES DE LÉONARD DE VINCI S’INSCRIT DANS ‘’LA PROMOTION DE LA DIVERSITÉ’’ (PR HAMADY BOCOUM) APS UGB : LES ÉTUDIANTS ENTAMENT UNE OPÉRATION D’EMBELLISSEMENT DU CAMPUS DE SANAR GNA Reopening of schools: Booksellers bemoan low patronage of products APS LIGUE 1 : LES ‘’AFRICAINS’’ TEUNGUETH FC ET JARAAF CONFIRMENT GNA GLOWA schools twenty adolescent girls, five patrons in leadership roles.

CSMJ pede diálogo institucional para ultrapassar situação actual nos órgãos da Justiça


  1 Décembre      12        Société (27340),

   

Praia, 01 Dez (Inforpress) – O presidente do Conselho Superior de Magistratura Judicial (CSMJ) alertou segunda-feira para a necessidade de haver um diálogo institucional para ultrapassar a situação actual por que passam os órgãos da Justiça e demais instituições da República.
Bernardino Delgado deu a conhecer este repto à imprensa ao ser questionado à saída de uma audiência com o Presidente da República, Jorge Carlos Fonseca, e que teve como objecto a situação da justiça e os últimos acontecimentos a nível da relação institucional entre os órgãos da Justiça e demais instituições.
O magistrado admitiu que “aparentemente” pode dar a ideia de “alguma discordância ou falta de articulação” entre as instituições, mas que a ideia é haver diálogo institucional para se pode ultrapassar a situação, vincando a necessidade de diálogo nacional para que a situação seja ultrapassada.
Delgado recusou comentar a ideia vincada por uma deputada parlamentar em como o sector da Justiça está a tentar condicionar a liberdade de expressão ou opiniões contrárias, ressalvando que “não tem reparado nada disto”, com o argumento de que “isto se calhar é opinião de quem está a dizer isto”.
“Cada um tem vincado as suas posições. Se um disser que está condicionado o outro tem a mesma legitimidade para dizer que ele está a ser condicionado também”, explicou Bernardino Delgado, que clama por um diálogo entre os interlocutores que representam as instituições, porquanto diz entender que “há sempre condições” para tal.
Abordado sobre o posicionamento dos juízes conselheiros do Supremo Tribunal de Justiça (STJ) que decidiram boicotar as solenidades, recusou fazer qualquer comentário, com o argumento de que o “é uma posição dos juízes, o CSMJ não pode pronunciar sobre esta intervenção”.
Quanto a abertura do Ano Judicial, disse simplesmente que o CSMJ não organiza o evento e que “participa quando for convidada”, mas realçou que, apesar de já estar atrasada, esta cerimónia não penaliza o estado da Justiça, porquanto simboliza o inicio do ano judicial, quando, atestou, “as actividades nos tribunais estão a acontecer normalmente”.

Dans la même catégorie