AIP Les populations d’Aboisso appelées à maintenir un climat de paix AIP Guides religieux et société civile pour une élection paisible à Aboisso AIP Un véhicule et des motos offerts à la notabilité de Béoumi AIP La session ordinaire de délivrance de la carte CIJP 2021 ouverte AIP L’ex-ministre Sidiki Diakité inhumé au cimetière de Grand-Bassam AIP Présidentielle 2020 : Le DNC adjoint du candidat KKB promet des emplois à la jeunesse AIP Une fondation fait don de vivres et kits scolaires à des veuves et orphelins AIP Présidentielle 2020 : Le candidat KKB se dit prêt à servir la Côte d’Ivoire avec amour s’il est élu AIP Communiqué du Ministère de la Santé et de l’Hygiène Publique « Point de la situation de la COVID-19 au 26/10/2020 » AIP Kobenan Adjoumani demande aux populations de Transua de ne pas céder aux provocations

Defesa/Ministro diz que o ponto fraco das Forças Armadas é gestão dos recursos humanos


  18 Septembre      13        Securité (1666),

   

Bissau, 18 Set 20 (ANG) – O ministro da Defesa e dos Combatentes da Liberdade da Pátria afirmou hoje que o ponto mais fraco das Forças Armadas Revolucionária do Povo(FARP) é a gestão dos recursos humanos, noticiou a Rádio Sol Mansi.

Sandji Fati que falava no encerramento de um curso de capacitação dos Comandantes de Batalhões, disse que é preciso definir critérios rigoroso para promoção dos oficiais desde as fases de promoção de patentes de Cabo, Furriel, Sargento e assim sucessivamente até chegar ao General.

“Temos a responsabilidade de formar e ajudar que as FARP se transformam em Forças Armadas Republicanas, assim que chegarem a fase de promoção ao coronel, todos saberão antecipadamente que são, de facto, militares
de carreira e os mais antigo,”disse.

Fati recomendou aos formandos para exigirem que os chefes de ramos sejam os próprios a gerir as suas unidades em vez de transferir essas responsabilidades para o Chefe de Estado-maior General das Forças Armadas (CEMGFA) ou ao seu vice.

Em relação a instabilidades políticas outrora supostamente provocadas pelos próprios militares, Sandji Fati disse que os militares são os maiores prejudicados, e a título de exemplo indicou que as casas dos oficiais residentes ao redor do Estado-maior do Exército estão constantemente a trocar de morador por causa da instabilidade.

Disse que os sucessivos sobressaltos nunca impediram realizações de eleições no país, acrescentando que os militares não ganham nada com isso.

O ministro da Defesa afirmou que os políticos dizem sempre que querem um Estado de Direito Democrático, tendo questionado como se pode atingir esse desiderato sem Forças Armadas democráticas e republicanas.

Aquele governante defendeu que o governo deve criar condições aos militares para se transformarem em Forças Armadas Republicanas.

Dans la même catégorie