AIP Des gestionnaires de ressources humaines distingués pour leur mérite AIP Le gouvernement annonce le recrutement dérogatoire des personnes en situation de handicap pour 2021 AIP Les premiers bénéficiaires du projet de financement de motos-taxis à Korhogo reçoivent leurs engins AIP Les contrôleurs financiers en formation sur l’opérationnalisation de leur déploiement auprès des collectivités décentralisées à Grand-Bassam AIP Le gouvernement autorise la construction d’un siège de 13,5 milliards pour la BNI AIP Plaidoyer pour davantage d’implication des femmes dans la gestion des finances publiques AIP Présidence de la CAF: Le gouvernement ivoirien compte accentuer la diplomatie pour favoriser l’élection de Jacques Anoma AIP Des paysans s’engagent dans la protection des forêts classées à Oumé AIP Mlle Koffi Affoué Emma, candidate aux législatives à Djébonoua AIP L’hôpital Saint Jean-Baptiste de N’Douci élargit son offre de soins aux patients

Direitos Humanos/ LGDH corrobora com intenção dos deputados de instituir “Dia Nacional dos Direitos do Humanos”


  14 Décembre      13        Droits de l'Homme (430),

   

Bissau, 14 dez 20 (ANG) – O vice-Presidente da Liga Guineense dos Direitos Humanos (LGDH) corrobora com a intenção dos deputados de instituir o Dia Nacional dos Direitos Humanos no país.

Em declarações a Agência de Notícias da Guiné em jeito de reação a intenção dos parlamentares de instituir  o Dia Nacional de Direitos Humanos através de uma resolução da  plenária, Victorino Indequi disse que a ideia é boa, mas avisa que deve ser acompanhada de  acções concretas relativamente a promoção dos direitos do homem.

“Instituir o dia, para nós, só vem reforçar aquela ideia de que todos os guineenses devem alinhar as suas actuações para com o respeito e promoção dos direitos humanos”, afirmou.

O vice-presidente da Liga Guineense dos Direitos Humanos afirmou que,  caso a intensão se concretizar, o dia vai ser de reflexão e de balanço sobre o que foi feito e o que falta  fazer em termos de promoção dos Direitos Humanos.

Acrescentou que a promoção dos direitos humanos deve ser a tarefa de todos, acrescentando que, se os deputados como representantes do povo entenderem que é pertinente a criação de um Dia onde todos juntos vão refletir e renovar o engajamento sobre os direitos humanos na Guiné-Bissau a Liga subscreve a iniciativa dos partidos parlamentares.

No dia dos Direitos Humanos, no parlamento os deputados foram unânimes quanto a defesa de instituição do “Dia Nacional dos Direitos Humanos”

“O slogam lançado pela Liga é de que todos devem contribuir para a defesa e protecção dos Direitos Humanos. Neste caso, os deputados têm essa responsabilidade por serem os representantes do povo”, disse.

Victorino Indequi  justificou ainda a sua congratulação com a necessidade de se reduzir as violações sistemáticas dos diretos humanos no país, e diz que para além disso, vai igualmente encorajar as organizações que trabalham nesse domínio e  fazer com que as autoridades percebam  que, enquanto representantes do Estado, devem estar na linha de frente na defesa e promoção dos Dirietos Humanos na Guiné-Bissau.

“No dia 10 de novembro a quando das celebrações do Dia Internacional dos Direitos Humanos todos os intervenientes reconheceram que no país foram registado inúmeros casos de violação dos direitos humanos. Se todos perceberam dessa situação, então devemos pensar em como minimizar o sofrimento das pessoas vitimas da violação”, afirmou Victorino Indequi.

Perguntado se a instituição do Dia Nacional dos Direitos Humanos vai contribuir para a redução de casos de violação, o vice-presidente do organismo que defende os direitos do homem na Guiné-Bissau disse que, instituir um dia por sí só não contribui para esse efeito mas que assinala a vontade das pessoas de querer encontrar soluções para a  redução de violações dos direitos humanos.

 Victorino Indequi defende que é preciso que o governo crie mecanismo para resolver as situações de violações, que passa pelo funcionamento da justiça ou seja dos tribunais.

Falando  do respeito aos direitos humanos, Indequi disse que  houve evolução mas que nos últimos anos registou-se  um retrocesso enorme, por isso considera de  preocupante, frisando que, há que encontrar mecanismo para estancar a  situação. 

Dans la même catégorie