GNA More than 5, 800 centres open for EC’s exhibition exercise in Ashanti Region GNA Voters commend EC for SMS verification platform GNA Veep supports Strategic National Stockpile establishment to tackle health emergencies GNA Government urged to develop a comprehensive cervical cancer control plan GNA Voter Register Exhibition begins smoothly but on low key GNA Peace Council to hold 2020 national youth for peace summit GNA Odweanoma Paragliding site to be commissioned during ‘Yenko Kwahu’ Festival GNA Ghana is making moderate progress in nine SDGs APS INONDATIONS : 271 FAMILLES SINISTRÉES RECASÉES SUR UN SITE DE KEUR MASSAR APS PLAN ORSEC : UNE LARGE PART SERA RÉSERVÉE À DIOURBEL, PROMET ALY NGOUILLE NDIAYE

Ex-PM afirma que “má gestão do dossier” sobre Alex Saab poderá acrescentar enormes prejuízos à imagem externa do país


  27 Août      4        Politique (11187),

   

Cidade da Praia, 27 Ago (Inforpress) – O ex-primeiro-ministro alertou hoje que se o dossier sobre Alex Saab não for gerido de uma forma inteligente, poderá acrescentar “enormes prejuízos” à imagem externa do país, afirmando que o momento demanda serenidade, inteligência e sentido de bem comum.
Na sua página oficial do Facebook, o ex-chefe do Exeucutivo cabo-verdiano, José Maria Neves, começa por abordar os impactos da covid-19 em Cabo Verde, dizendo que a pandemia veio pôr a nu as “insuficiências” do sistema nacional de saúde, as “ineficiências” dos serviços públicos, a “fragilidade” do tecido empresarial, a “precariedade” do mercado de trabalho, as “manchas” da pobreza, as “desigualdades” sociais e as vulnerabilidades do país.
“A promessa de pensar fora da caixa e de fazer diferente está por cumprir. Perdem as famílias, as empresas e os cidadãos. Os tempos estão difíceis, para todos nós. Temos que agir rapidamente para sofisticar os processos decisórios, melhorar a organização do trabalho e a eficiência e procurar melhores resultados. O tempo ruge!”, declarou.
A somar à pandemia, apontou o contexto geopolítico e geoestratégico da prisão, pelas autoridades cabo-verdianas, de Alex Saab, que, no seu entender, se não for bem gerido poderá acrescentar enormes prejuízos à imagem externa do país.
José Maria Neves exortou, neste sentido, as autoridades políticas e governamentais a “arrepiar caminho” e respeitar “escrupulosamente” os princípios basilares do Estado de Direito Democrático e buscar consensos e compromissos entre os órgãos de soberania e os principais actores políticos.
Para o ex-primeiro-ministro, em nenhuma circunstância tal questão devia ser utilizada como arma de arremesso político e objecto de disputa partidária, ainda que em tempos de eleições, ressalvando que nesses momentos de crise os interesses nacionais falam mais alto.
“O momento é sério, difícil e complexo. Por isso, demanda serenidade, inteligência e sentido de bem comum. Afinal, governar Cabo Verde é um acto eminentemente ético”, afirmou.
Alex Saab Morán, de nacionalidade colombiana e com passaporte venezuelano, foi detido no Sal, a 12 de Junho, no cumprimento de um mandado internacional, emitido pela Interpol, a pedido das autoridades norte-americanas.
Os Estados Unidos consideram o empresário um testa-de-ferro de Nicolás Maduro. A defesa – liderada internacionalmente pelo antigo juiz espanhol, Baltazar Garzón – e governo venezuelano apostam na ilegalidade da detenção, já que Saab viajaria com passaporte diplomático.

Dans la même catégorie