APS PLUS DE 3.000 PERSONNES VACCINÉES DANS LA RÉGION DE THIÈS APS SÉDHIOU : DES VIVRES ET DES PRODUITS HYGIÉNIQUES POUR PLUS DE 300 TALIBÉS APS VINGT-CINQ VILLAGES DE SANDIARA ACCÈDENT À L’EAU POTABLE MAP CAN 2021-U20 (demi-finale): L’Ouganda bat la Tunisie par 4-1 et se qualifie pour la finale AIP Côte d’Ivoire-AIP/ L’OSEFF organise une séance de dépistage des cancers du sein et du col de l’utérus AIP Côte d’Ivoire-AIP/Quinze cas de Covid-19 enregistrés depuis janvier dans l’Indénié-Djuablin AIP Communiqué du Ministère de la Santé et de l’Hygiène Publique « Point de la situation de la COVID-19 au 1er/03/2021 » AIP Côte d’Ivoire-AIP/ La Confédération des professionnels de la filière bovine s’installe à Séguéla AIP Côte d’Ivoire – AIP/ Législatives 2021 : la chefferie traditionnelle de Séguéla et la CNDHCI pour un scrutin apaisé AIP Côte d’Ivoire-AIP/ Le projet de déploiement de la SOTRA à Bouaké effectif à la prochaine rentrée scolaire

FAO aponta a falta de recursos humanos como “maior desafio” na gestão do solo em Cabo Verde


  3 Février      15        Economie (11210),

   

Cidade da Praia, 03 Fev (Inforpress) – A consultora da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) Maria Vasconcelos apontou hoje a falta de recursos humanos como “maior desafio” na gestão do solo e território em Cabo Verde.
A responsável fez estas considerações à Inforpress, a margem da formação sobre vectorização em ambiente de Sistemas de Informação Geográfica (SIG), do projecto Reforço da Capacitação e Resiliência do Sector Florestal em Cabo Verde (Reflor-CV).
Conforme explicou, esta acção de capacitação enquadra-se numa série de formações e visa criar uma base de dados geográfica que seja “a mais completa possível” com informação sobre o uso e o coberto do solo em Cabo Verde, tanto no presente como em épocas passadas.
“No fundo, o objectivo é termos informação de qualidade sobre a dinâmica do uso do solo em Cabo Verde, não só para fins de gestão sustentável do solo e do território, mas também para podermos fazer demonstração a nível internacional, daquilo que seja o desempenho do país junto das convenções internacionais do clima para fins de mitigação das alterações climáticas”, elucidou.
Participam na formação, prosseguiu, jovens em fins de curso superior, estagiários do Ministério da Agricultura e Ambiente e do IEFP, tendo realçado, que a mesma terá duração de duas semanas, por considerar que esta formação querer por um lado, aprendizagem de novas ferramentas e de conceitos de transformação digital e, por outro lado, a realização de algum trabalho de vectorização.
“Isso nos permitirá ter uma base geográfica no tempo com informação sobre a vocação dos solos, em trabalhos que foram feitos nos anos 80, mapas com a ocupação de solo também em décadas anteriores”, salientou.
Abordando concretamente a situação de Cabo Verde relativamente à gestão do solo, a consultora da FAO destacou os ganhos alcançados, frisando, no entanto, que apesar de haver muita informação, ela está dispersa e precisa ser organizada e colocada à disposição da sociedade civil.
Apontou ainda a falta de recursos humanos como “maior desafio” na gestão do solo e território em Cabo Verde, realçando as acções concretizadas pelo Ministério da Agricultura e Ambiente e a FAO, por forma a envolver os jovens através de acções de formação.
“O projecto Reflor CV, o Ministério da Agricultura e a FAO têm feito um esforço grande de abranger o mais possível a juventude no sentido de garantir que estejam preparados para servirem como técnicos num futuro próximo e puderem garantir que o país consiga demonstrar o seu desempenho e gerir melhor os seus recursos naturais, e conseguir com isso, um retorno maior do capital natural que tem sem perder”, declarou.
Reflor-CV é um projecto do Ministério da Agricultura e Ambiente, financiado pela União Europeia, e em execução pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO).
O principal objectivo é o de aumentar a resiliência e a capacidade de adaptação para enfrentar os riscos adicionais colocados pelas mudanças climáticas na desertificação e degradação da terra em Cabo Verde.
Tem uma meta de alcançar, nos próximos três anos, cerca de 800 hectares (área correspondente a 800 campos de futebol) em novas áreas arborizadas e plantadas e com espécies mais adaptadas para a construção da “tão desejada resiliência”.

Dans la même catégorie