ACAP Le gouvernement demande à la population de collaborer avec les forces de sécurité intérieure ACAP Les Forces Armées centrafricaines et leurs alliés poursuivent la sécurisation de la ville de Bangui et ses environs APS VERS ’’DES DISPOSITIONS PRATIQUES » POUR LE « PAIEMENT SYSTÉMATIQUE’’ DES INDEMNITÉS DES EXAMENS ET CONCOURS APS SÉCURITÉ DE PROXIMITÉ : MACKY SALL PROLONGE D’UN AN LES CONTRATS DES AGENTS DE LA PROMOTION 2014 APS LA DEUXIÈME PHASE DE LA CMU SERA LANCÉE CETTE ANNÉE, SELON MACKY SALL APS A CAUSE DU COVID-19, LE GOUVERNEMENT SUSPEND SES CONFÉRENCES BIMENSUELLES JUSQU’À NOUVEL ORDRE APS ARACHIDE : À KAOLACK, LA SONACOS EST EN RETARD SUR SES OBJECTIFS DE COLLECTE (DIRECTEUR) APS L’UNICEF OFFRE DES KITS SCOLAIRES À DES ÉLÈVES DE FAMILLES VULNÉRABLES DE ZIGUINCHOR GNA Kotoko moves to third place on league log after beating Dwarfs GNA Ayebeng Memorial Kindergarten Block gets facelift

Federação Internacional de Jornalistas destaca importância do sindicalismo na defesa da classe


  7 Décembre      17        Médias (1568),

   

Cidade da Praia, 07 Dez (Inforpress) – O director da Secção África da Federação Internacional de Jornalistas (FIJ), Louis Thomasi, destacou a importância do sindicalismo na defesa dos interesses da classe, apontando a uma maior organização e melhor ambiente laboral.
Louis Thomasi fez esta intervenção sábado à Inforpress, à margem do ateliê de formação destinado a jovens profissionais da comunicação social sobre a sindicância digital, patrocinado pela FIJ.
Segundo apontou, esta formação é basicamente para incluir os jovens jornalistas na FIJ, explicar o seu significado e explicar como a organização pode defender seus direitos.
“É preciso porque todos vimos o que aconteceu durante a pandemia, muitos jornalistas perderam seu trabalho e é a FIJ que luta para que os direitos sejam cumpridos, por isso é preciso sensibilizar os jornalistas para esta causa”, frisou.
Por outro lado, salientou a era digital como uma ferramenta indispensável no exercício do novo jornalismo, para quem a função não pode ser desempenhada sem a plataforma digital, a Internet ou o computador.
“Muitos dos jornalistas que estão começando a profissão já chegam com conhecimento das novas tecnologias, usando a Internet e criando plataformas, sendo importante começar a organizar esses jovens para o que futuro lhes reserva”, ressaltou.
Por sua vez, o vice-presidente da Associação Sindical dos Jornalistas de Cabo Verde (AJOC), Geremias Furtado, fez um balanço positivo dos dois dias da formação, sublinhando que a expectativa foi correspondida.
“Conseguimos responder às expectativas, com a participação de jornalistas de quatro ilhas, Santiago, São Vicente, Boa Vista Sal, e conseguimos abordar todos os pontos da agenda e as sessões correram como planeados”, disse.
Por outro lado, referiu que todos os jovens sabem que a era digital é o caminho, daí a necessidade de se reforçar o conhecimento das novas tecnologias, isso porque, prosseguiu, além de saber escrever, o jornalista é desafiado a saber fazer foto, editar vídeos, programar e desempenhar outros serviços e outras tarefas que o jornalismo convergente impõe.

Dans la même catégorie