APS KAOLACK : PLAIDOYER POUR ÉRIGER MÉDINA BAYE EN COMMUNE APS PRÈS D’UNE TONNE DE CHANVRE INDIEN SAISIE PAR LES DOUANES DE KAOLACK APS LES ÉLECTIONS À LA CAF, UN VIRAGE IMPORTANT POUR LE FOOTBALL CONTINENTAL (GIANNI INFANTINO) APS DES ARBITRES ÉGYPTIENS ET GUINÉENS POUR LES PROCHAINS MATCHS DES LIONS MAP L’ambassadeur Hilale saisit le SG de l’ONU et le CS sur les violations des droits de l’Homme dans les camps de Tindouf MAP Conférence de l’Institut américain «Brookings»: M. Bourita met en avant les réformes audacieuses du Maroc sous l’impulsion de SM le Roi MAP L’initiative noble de SM le Roi d’aider les pays africains en temps de pandémie, un modèle de solidarité intra-africaine (ministre kényane des AE) MAP Jusqu’à 500 millions de DH pour l’aménagement de Harhoura, une destination touristique prisée MAP Hilale démystifie auprès du SG de l’ONU et du CS la campagne hystérique de l’Algérie et du « polisario » sur la situation au Sahara MAP M. Amara plaide pour une mise en œuvre optimale du chantier de l’éducation routière

Fogo: A lixeira municipal representa um crime para saúde pública e para o ambiente – edil


  22 Février      10        Société (29177),

   

São Filipe, 22 Fev (Inforpress) – A lixeira municipal, localizada a menos de 300 metros do hospital e de uma unidade hoteleira, em São Filipe, constitui um crime para a saúde pública e um atentado ao ambiente, disse o presidente da câmara Nuías Silva.

A afirmação é do presidente da Câmara Municipal de São Filipe, Nuías Silva, que caracterizava a situação da lixeira municipal que vem funcionando há vários anos nas proximidades das duas instituições e numa área habitacional, salientando que, esta semana, chega à ilha do Fogo uma equipa da Agência Nacional de Águas e Saneamento (ANAS) para trabalhar, com a autarquia, na selagem da mesma e na escolha de uma nova localização.

A ANAS celebrou, em Agosto do ano passado, um protocolo com a câmara visando a suspensão do funcionamento da lixeira a céu aberto, prometendo disponibilizar 20 mil contos para a construção de um aterro controlado, tendo, inclusive, transferido seis mil contos para a autarquia, mas mesmo assim o problema não foi resolvido.

Sem avançar uma data, porque ainda não está devidamente planificado e é preciso discutir com a equipa de ANAS, Nuías Silva apontou que até o início do Verão, o mais tardar, a actual lixeira deixará de funcionar.

“Neste momento já temos o local identificado e iniciado a negociação com o dono do terreno, já temos o projecto elaborado e vamos discutir com ANAS e, caso se mantiver o financiamento prometemos brevemente, numa situação emergencial selar a actual lixeira, deslocalizá-la para um espaço que cause menos impacto ambiental, visual para a cidade e sobre a saúde”, disse o autarca de São Filipe.

Silva destacou que se trata de “uma situação emergencial” para permitir à Câmara Municipal de São Filipe, juntamente com as duas outras, trabalhar o projecto maior de uma lixeira intermunicipal que poderá levar de três a quatro anos.

O espaço identificado pela câmara anterior, localizada, a menos de um quilómetro a sul do perímetro irrigado de Monte Genebra e que implicava a construção de um troço de estrada com cerca de 600 metros, foi descartado pela actual câmara, porque em termos de engenharia financeira era e é um problema e, talvez por isso, não se fez a deslocalização, sublinhando que só o trabalho da estrada era superior ao valor do financiamento da ANAS.

O autarca referiu que o terreno identificado para a situação emergencial, localiza-se entre Brandão e Vicente Dias, numa ravina que está identificado no estudo da CITRES como uma das possíveis zonas para albergar a lixeira, acrescentando que estão a utilizar o estudo que existia para evitar fazer mais estudos.

Tratando-se de situação emergencial, Nuías Silva acredita que os são-filipenses estarão de acordo e convergente com esta situação.

“Vamos ouvir a ANAS e se se mantiver o financiamento vamos socializar a ideia é avançar rapidamente para a implementação, que não demoraria muito para selar actual lixeira e fazer os investimentos na estrada para este espaço e criar as condições para receber o lixo”, advogou Nuías Silva, garantindo que depois o espaço da lixeira actual será requalificado ambientalmente para criar um ecossistema, transformando-o num pulmão verde da cidade.

A mesma fonte indicou ainda que se se mantiver o financiamento, mesmo tendo sido utilizados os seis mil contos, com o resto é possível implementar a deslocalização da lixeira e com o trabalho de gestão que a câmara está a fazer, se tudo correr bem, antes do Verão a lixeira será deslocalizada.

JR/HF

Inforpress/Fim

Dans la même catégorie