ANGOP Covid-19: Angola regista 46 novos casos APS MÉDINA BAYE : ANSAROU DINE RENOUVELLE SES ENGAGEMENTS AU NOUVEAU KHALIFE APS UN OFFICIEL DÉCLINE ‘’SEPT ACTIONS’’ POUR LE DÉVELOPPEMENT DU TOURISME EN MILIEU RURAL APS EDOUARD MENDY ENRICHIT SES ANCIENS CLUBS (MÉDIA) APS LE PROJET DU MUSÉE-MÉMORIAL ’’LE JOOLA’’ PRÉSENTÉ AUX CHEFS COUTUMIERS DU KASSA AGP Gabon : Le CLR installe les nouveaux responsables dans la Noya MAP Kenya: Saisie à Juja de 700 kilogrammes de cannabis et arrestation de cinq trafiquants GNA Ghanaians advised to observe COVID-19 protocols to prevent new infections GNA Government has identified sources of funding to Western Togoland Secessionists -Oppong Nkrumah GNA Agona East District Assembly Supports PWDs

Fogo: Rede de esgotos é um problema nacional e não se pode esperar pela sua resolução para requalificar as cidades – MIOTH


  20 Juillet      4        Travaux publics (275),

   

São Filipe,20 Jul (Inforpress) – A rede de esgotos é um problema que se coloca a nível do País e não se pode esperar pela sua resolução para requalificar as cidades, sob pena de se degradarem, admitiu este sábado a ministra das Infra-estruturas.
A titular da pasta das Infra-estruturas, Habitação e Ordenamento do Território (MIOTH), Eunice Silva, reconheceu este problema após o acto de descerramento da placa das obras de requalificação dos arruamentos da cidade de São Filipe (centro histórico) presidido pelo primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva.
A questão da rede de esgotos não é exclusiva de São Filipe, mas coloca-se a vários municípios e o Governo tem estado a trabalhar neste questão, segundo indicou, observando que pelo facto de se estar a requalificar, não quer dizer que o trabalho acabe, pois, adiantou que “haverá possibilidade de, oportunamente, meter rede de esgotos” que está na agenda do Governo, trabalhar nas redes de esgotos em todas as cidades onde este problema se coloca, incluindo São Filipe.
Em relação a requalificação de todo o centro histórico que se encontra bastante degradado, Eunice Silva disse que será abrangida uma área de aproximadamente 40 mil metros quadrados (quatro hectares) e que o valor da obra é de 66 mil contos.
Esta indicou que, basicamente, vai-se restaurar e regenerar todo o piso da área antiga da cidade, com substituição da calçada, mas mantendo os desenhos nas calçadas com recurso a pedras brancas, mas também fazer intervenção a nível dos canteiros, com substituição das árvores antigas por outras variedades, em articulação com delegação do Ministério da Agricultura e Ambiente (MAA).
Na requalificação dos arruamentos da cidade não serão utilizados pavês, mas sim, o trabalho será com pedras dimensionadas para dar uma visão diferente e evitar a situação actual em que as ruas estão cheias de deformações e com cedência, perceptível mesmo quando se circula de carro.
Assim, nas obras de requalificação que tem a duração de um ano, prevê-se intervenção a nível dos passeios e canteiros, e em parceria com o sector do saneamento da câmara de São Filipe, serão contempladas 500 caldeiras de árvores com substituição das espécies para outras mais adaptáveis.
Questionada se a asfaltagem de algumas ruas faz parte da empreitada, Eunice Silva indicou que o asfalto é um outro projecto que, neste momento, está em concurso público que está na fase final, contando o seu ministério poder consignar a obra no próximo mês de Agosto.
O projecto de reabilitação e asfaltagem das vias de acesso ao aeródromo/Xaguate/Porto de Vale dos Cavaleiros, passando pelo largo de Cruz dos Passos e Aguadinha, numa extensão de 3.5 quilómetros, das vias de “Cruz dos Passos/Santa Filomena/Congresso” com 1.2 quilómetros e largo de Enacol/Congresso com 1.4 quilómetros, num total de 6.1 quilómetros é, segundo Eunice Silva, um projecto que vai decorrer em paralelo com o de requalificação dos arruamentos de São Filipe, por ser a mesma empresa que vai executá-los e, por isso, haverá uma articulação entre os dois projectos.
A questão da construção do pedonal de Alto de São Pedro não está incluído na requalificação dos arruamentos, mas o presidente da câmara de São Filipe, Jorge Nogueira, disse que o projecto está pronto e que poderá ser financiado na próxima fase.
Em relação a intervenção nas fachadas dos edifícios do centro histórico, a ministra das Infra-estruturas indicou que é um projecto que está sendo trabalhado com a câmara do Porto (Portugal) e que será executado, posteriormente, devendo iniciar antes da conclusão dos trabalhos de requalificação dos arruamentos.
Na ocasião, os técnicos do MIOTH avançaram que as empresas de água e de electricidade estão avisadas e a medida que se vai requalificar as ruas devem fazer intervenções nas suas redes, de acordo com o plano de investimento, para não se ter de abrir no futuro, as vias para substituição e intervenção nas redes, como bem entenderem.
A requalificação dos arruamentos de São Filipe enquadra-se no eixo III do Programa de Requalificação, Reabilitação e Acessibilidades (PRRA) do MIOTH.

Dans la même catégorie