MAP Ouverture à Marrakech des sessions ministérielles de la COM2019 MAP MCR, instrument clé pour atteindre les objectifs de développement en Afrique (commission de l’UA) MAP A 34 ans, la boxeuse kényane Fatuma Zarika n’envisage pas encore de jeter les gants GNA Two Hundred thousand cashew seedlings for farmers in Kwahu Afram Plains North GNA Takoradi office of GRA educates businesses GNA MTN extends public education to Western North Region APS MASSACRE DE PEULS À OGASSAGOU : LE FORUM RÉGIONAL AFRICAIN D’AMNESTY INTERNATIONAL DEMANDE UNE COMMISSION D’ENQUÊTE APS CAN U23 : VIRAGE ET TRIBUNE DÉCOUVERTE GRATUITS AU STADE LAT DIOR (FÉDÉRATION) APS FAN ZONE DE LA PROMENADE DES THIESSOIS : SOUS LES RAFALES D’AIR FRAIS, DES SUPPORTERS POUSSENT L’ÉQUIPE À LA VICTOIRE AGP Gabon : Ouverture à Lambaréné du championnat national U15 de football

Governador do BCV enaltece importância das microfinanças para acesso dos pobres ao sector financeiro


  30 Juillet      43        Economie (22904), Finance (3737), Photos (20694),

   

Cidade da Praia, 30 Jul (Inforpress) – O governador do Banco de Cabo Verde (BCV), João Serra, disse hoje na cidade da Praia que as microfinanças representam um “elo importante” para mitigar o fosso existente entre os pobres e o sector financeiro.

João Serra discursava na abertura do I Fórum sobre Microfinanças, que acontece hoje e terça-feira na sala de formação do BCV. O evento é organizado pelo Banco Central em parceria com a Associação Profissional das Instituições de microfinanças de Cabo Verde (APIMF-CV).

O governador do Banco de Cabo Verde defendeu que o sector de microfinanças poderá ser um “importante” recurso para o desenvolvimento das micro, pequenas e médias empresas, uma vez que estas defrontam “maiores dificuldades” de obter crédito no sector bancário formal clássico.

Prosseguindo, aquele responsável acrescentou que em Cabo Verde, apesar da microfinança não se limitar apenas ao microcrédito, é de se reconhecer, no entanto, que, até agora, esta é a sua vertente mais conhecida e perceptível.

João Serra acrescentou ainda no seu discurso que as instituições de microcrédito deverão ser “financeiramente sólidas e auto-suficientes”, constituindo fundos rotativos e lucrativos, para que não permaneçam na dependência eterna de financiamentos a fundo perdido ou ponham em causa a sua continuidade.

GSF/ZS
Inforpress/Fim

Dans la même catégorie