APS MOUSSA NDIAYE, GRANDE RÉVÉLATION DE LA COUPE DU MONDE U20 (FRANCE FOOTBALL) APS AMINATA DIOP SALL OFFERTE EN MODÈLE DE RÉUSSITE DANS LES DISCIPLINES SCIENTIFIQUES APS LA SÉCURITÉ SANITAIRE AU MENU D’UNE SESSION DE FORMATION ATOP SOTOUBOUA : LA POPULATION SENSIBILISEE SUR L’ALBINISME MAP Programme « Afrique créative »: Appel à candidatures ouvert jusqu’au 15 août prochain (AFD) ATOP SENSIBILISATION SUR L’USAGE INAPPROPRIE DES ANTIBIOTIQUES A LA FACULTE DES SCIENCES DE SANTE DE L’UK ATOP LA CECAP DRESSE UN BILAN POSITIF DE SES ACTIVITES DE 2018 ATOP JOURNEE MONDIALE DU DON DE SANG 2019 : LE CNTS APPELLE LA POPULATION A DONNER DU SANG POUR SAUVER DES VIES MAP Le Comité des Représentants permanents de l’UA tient à Addis-Abeba sa 38 session ordinaire avec la participation du Maroc AGP COPA America : la Colombie surprend l’Argentine de Messi (2-0)

Governo cria Comissão de Implementação da cotitulariadade de gestão das contas públicas


  23 Mai      49        Finance (3778),

   

Bissau,22 Mai 18 (ANG) – O Governo por Despacho do Primeiro-ministro criou a Comissão de Monitorização e Implementação de medidas que determinam a co-titularidade na gestão das contas das empresas públicas e organismos autónomos.

Segundo o comunicado do Gabinete de Imprensa do Primeiro-ministro enviado à ANG, a referida Comissão tem como mandato identificar e monitorizar a gestão das empresas públicas, fundos públicos e organismos autónomos com autonomia administrativa, financeira e patrimonial, mediante a apresentação de alguns elementos de gestão.

A nota informa que entre os elementos exigidos figuram estatutos, orçamento privativo, Relatório de Gestão, incluindo o Relatório de Auditoria, Quadro do Pessoal, Tabela Salarial em aplicação e Comprovativo do Cumprimento do dever de centralização das receitas.

Refere  o Despacho que  a não apresentação desses documentos acarreta a tomada de medidas disciplinares.

« A criação da Comissão de Monitorização da gestão das empresas públicas, fundos públicos e organismos autónomos visa assegurar o cumprimento Decreto-Lei Numero 1/2017 », lê-se no  documento.

O Decreto-Lei número 1/2017  recomenda a tomada de medidas de gestão das finanças públicas, nomeadamente a arrecadação de receitas e o controlo das despesas públicas por forma a  criar melhores condições de vida  para as populações.

ANG/ÂC//SG

Dans la même catégorie