GNA Amnesty International Ghana launches annual report AIP Alassane Ouattara assuré que la Côte d’Ivoire est prête pour la monnaie commune GNA Digitalisation has reduced corruption in Ghana AIP Des chasses aux sorciers à Sohoupleu (Danané) GNA Prayer camps want recognition as healthcare providers MAP Le Conseil de sécurité appelle à des élections législatives et présidentielles en Guinée Bissau ABP Education / L’université d’Abomey-Calavi célèbre la journée internationale de la langue maternelle AIP Église Méthodiste Unie: Le premier synode ordinaire de Songon débute vendredi à Agban ABP Gouvernance / La Conférence administrative départementale du Borgou recense les insuffisances liées à l’application des textes de la décentralisation ANP Le Président Issoufou Mahamadou prendra part vendredi à Bruxelles à la Conférence Internationale de Haut Niveau sur le Sahel

Governo da Guiné-Bissau vai atribuir nacionalidade a cerca de dez mil refugiados


  7 Décembre      17        Politique (16453),

   

Bissau,07 Dez 17 (ANG) – O Governo da Guiné-Bissau e o Alto Comissariado da ONU para os Refugiados (ACNUR), assinaram quarta-feira um documento para a atribuição da nacionalidade guineense a cerca de 10.000 refugiados que se encontram no país.

Os 10.000 refugiados estão há mais de 20 anos na Guiné-Bissau e são provenientes da região senegalesa de Casamança, Libéria e Serra Leoa.

 » Possuir uma nacionalidade é essencial para uma plena participação na sociedade e uma condição prévia para beneficiar dos direitos fundamentais do homem »,afirmou o representante do ACNUR na Guiné-Bissau Mamadu Lamine Diop.

Para Mamadu Lamine Diop,a decisão do Governo guineense é bastante « importante para a comunidade de refugiados » e vai ser acompanhada de um plano de execução e acompanhada por uma comissão técnica.

Presentes na cerimónia de assinatura da Cláusula de Integração Local Definitiva de Refugiados de Longa Duração estiveram vários ministros do Governo guineense, incluindo o primeiro-ministro, Umaro Sissoco Embaló.

« Hoje é um dia excecional e muito importante. Eu já fui refugiado e por isso manifesto a minha solidariedade a todos os refugiados do mundo », afirmou o primeiro-ministro guineense.

Nas suas declarações, Umaro Sissoco Embaló encorajou todos os países a procederem da mesma maneira e a mobilizarem-se no apoio aos refugiados.

« Hoje é um grande dia para a Guiné-Bissau e para os refugiados e para todos aqueles que estão à procura de asilo no mundo. Este é um exemplo para todos os países », disse Anne Marie Landen, representante-adjunta do escritório do ACNUR para a África Ocidental.

Para a responsável, a Guiné-Bissau fez mudanças e optou por uma solução durável para os refugiados.

« A Guiné-Bissau é um pequeno país, mas pensa em grande. É o primeiro da região a assumir este compromisso »,salientou.

Dans la même catégorie