AIP Covid-19: Sidi Touré déplore une « reprise épidémique » et appelle au respect des mesures barrières AIP 214 nouveaux cas de COVID-19 signalés le 20 janvier 2021 (Ministère) AIP Covid-19: Les premières livraisons du vaccin Pfizer reportés à la mi-février 2021 AIP Le gouvernement suspend la hausse des prix de l’huile et de la farine AIP La CSCI présente le bilan de ses activités AIP Des travaux de reprofilage des voies en cours à Tabou AIP Les transactions boursières en hausse en dépit de la crise sanitaire en 2020 (BRVM) AIP Plus de cent jeunes formés en gestion financière dans le Sud-comoé AIP Le lycée moderne de Niablé plaide pour la construction d’un nouveau bâtiment MAP Bulletin quotidien de l’écologie en Afrique

“Governo deu com uma mão e tirou com a outra”, diz Spencer Lima sobre medidas para fazer face à pandemia


  22 Décembre      9        Société (27511),

   

Cidade da Praia, 22 Dez (Inforpress) – O presidente da Câmara de Comércio do Sotavento, Jorge Spencer Lima, disse hoje que o Governo “deu com uma mão e tirou com a outra” na questão de apoios às empresas na sequência da pandemia da covid-19.

“No início tivemos sempre ao lado do Governo e apoiamos o Governo, mas o Governo, a partir de algum momento, deixou de ouvir. Nós demos vários pareceres que o Governo não levou em conta, fez o que quis em determinado momento. Sobretudo na questão de apoio às empresas, o Governo deu como uma mão e tirou com outra, impôs muitas restrições, muitas dificuldades”, ressaltou.

Segundo Jorge Spencer Lima, em entrevista à Inforpress, as medidas impostas no quadro de ajuda às empresas fizeram com que “um número significativo” de empresas ficasse de fora, e “até este momento os problemas continuam”.

“O lay-off no início foi bom. Mas quiseram renovar o lay-off sem ter em conta a degradação da situação das empresas. Neste momento está-se a discutir a situação do lay-off, nós já demos o nosso parecer sobre isso, nós não estamos de acordo com a forma como o lay-off está sendo renovado, as empresas já não têm mais fundos”, prosseguiu Spencer Lopes.

A mesma fonte reiterou que “muitas empresas não irão aderir” e vão passar para os despedimentos, levando ao agravamento dos problemas.

“É isso que nós já dissemos ao Governo, estamos à espera do que o Governo vai fazer. A questão é que se põe é que quando começar a retoma, as empresas vão fazer novos investimentos, sobretudo na área do turismo, para que elas estejam em condições”, finalizou o presidente da Câmara de Comércio do Sotavento.

Dans la même catégorie