AIP Six morts dans un éboulement sur un site d’orpaillage près de Loho à Niakara AIP Psgouv 2020: plus de 200 pompes à motricité humaine réparées ou remplacées dans le N’zi AIP Le maire de Samatiguila reconnaissant à sa population pour la victoire de Ouattara MAP Nigeria : Au moins 110 civils tués dans une attaque terroriste MAP Football : Décès de l’ancien international sénégalais Bouba Diop à l’âge de 42 ans APS FOOTBALL : LA GAMBIE REMPORTE LE TOURNOI DE LA ZONE OUEST A DE L’UFOA APS DES ÉLÈVES DE SAINT-LOUIS SENSIBILISÉS SUR LES VIOLENCES BASÉES SUR LE GENRE ANP Maradi : le Chef de l’Etat lance les travaux d’aménagement et de bitumage de la route Mayahi-Tessaoua-frontière du Nigéria GNA NCCE urges political activists to eschew violence ahead of elections GNA CSOs urged to build stronger partnership to champion agro-ecology

Governo quer e está a trabalhar para um sistema de financiamento mais facilitador – Olavo Correia


  16 Novembre      4        Politique (13115),

   

Cidade da Praia, 16 Nov (Inforpress) – O Governo quer e está a trabalhar para um sistema de financiamento mais facilitador em Cabo Verde, disse hoje o vice-primeiro-ministro e ministro das Finanças, Olavo Correia, que garante, entretanto, que o Estado está a cumprir o seu papel. O governante, que falava aos jornalistas no final da cerimónia de abertura da Semana Global do Empreendedorismo, sublinhou que é preciso um sistema que avalie convenientemente os riscos, mas que consiga responder em tempo certo às necessidades dos jovens e do sector privado cabo-verdiano. “Temos estado a fazer um progresso nesta matéria, mas ainda temos um caminho a percorrer para que todo o sistema de financiamento possa ser mais facilitado, com intervenção do Estado, como é evidente, mas também com a contribuição dos demais parceiros que intervêm no processo”, anotou. Questionado sobre onde estão as lacunas, o vice-primeiro-ministro falou das informações que as empresas devem aportar, das formas como os bancos avaliam os riscos, do próprio papel do estado no sentido de ajudar a mitigar os riscos e de todo um sistema que na sua perspectiva, deve ser devidamente optimizado. “O sistema está a funcionar e nós já concedemos mais de três milhões de contos de empréstimos ao abrigo do ecossistema, mas pensamos que no quadro desse novo desafio que tem a ver com a pandemia e as consequências da covid-19 precisamos ir mais longe”, sustentou. Da parte do Estado garantiu que há toda a disponibilidade para criar as condições para garantir que os empresários que precisarem de financiamento e reúnam as condições possam ter esse financiamento em tempo certo. Por outro lado, lança um desafio a todo o sistema empresarial e de acesso ao financiamento no sentido de se lançar um olhar para a experiência acumulada nos últimos tempos. “O contexto que vivemos hoje é um contexto diferente, mais exigente do ponto de vista de avaliação de risco de análise de informação e nós temos que ir aprendendo com o passado recente para podermos recompor e optimizar o sistema de acesso ao financiamento e promoção empresarial e estamos a trabalhar nesse sentido”, sustentou. Olavo Correia fez uma avaliação positiva das medidas implementadas no combate à covid-19, salientando que até este momento foi possível evitar o desemprego em massa. Para além do acesso facilitado ao financiamento, o Governo concedeu moratórias e outras medidas para evitar que as empresas fechem. Contudo salientou que com o prolongamento da crise as consequências serão maiores, pelo que defende a melhoria dos instrumentos por forma a ajudar as empresas e a evitar que o país venha a ter desemprego em massa. “É claro que o desemprego vai aumentar em toda a parte do mundo. O que temos a fazer é evitar que haja um aumento grande do desemprego e isso temos conseguido. Nesse contexto, nenhum país consegue evitar que haja desemprego porque existem empresas que não vão conseguir sobreviver nesta pandemia”, salientou. Aos jovens deixou uma mensagem de esperança e confiança, salientando que os mesmos têm de olhar para os desafios, desenvolver e propor soluções, devendo o Estado estar aberto para discutir e apoiar. “Só assim estaremos a dar o nosso contributo para que Cabo Verde melhore”, frisou. Este ano a Semana Global do Empreendedorismo (GEW), que acontece em 170 países de 16 a 22 de Novembro, tem como lema “Empreendedorismo, Desafios e oportunidades em tempo de pandemia”. Em Cabo Verde estão previstas mais de 150 actividades que devem acontecer em todas as ilhas em formato presencial e online devido à pandemia de covid-19.

Dans la même catégorie