GNA Government urged to develop a comprehensive cervical cancer control plan GNA Voter Register Exhibition begins smoothly but on low key GNA Peace Council to hold 2020 national youth for peace summit GNA Odweanoma Paragliding site to be commissioned during ‘Yenko Kwahu’ Festival GNA Ghana is making moderate progress in nine SDGs APS INONDATIONS : 271 FAMILLES SINISTRÉES RECASÉES SUR UN SITE DE KEUR MASSAR APS PLAN ORSEC : UNE LARGE PART SERA RÉSERVÉE À DIOURBEL, PROMET ALY NGOUILLE NDIAYE APS LOUGA : MOINS DE DONNEURS DE SANG À CAUSE DU COVID-19 APS TEUNGUETH FC ET LE JARAAF ONT REÇU LEURS SUBVENTIONS APS EXAMEN DU CFEE : KAFFRINE OBTIENT UN TAUX DE RÉUSSITE DE 65,10%

Greve dos agentes prisionais suspensa devido à requisição civil 


  3 Août      10        Politique (11185),

   

Cidade da Praia, 03 Ago (Inforpress) – A greve dos agentes prisionais, iniciada esta segunda-feira, 03, foi suspensa devido à requisição civil decretada pelo Governo, que convocou 73 trabalhadores a comparecer no trabalho para assegurar os serviços mínimos nas cadeias centrais e regionais.
O anúncio da suspensão da paralisação foi feito esta manhã, à imprensa, pelo presidente do Sindicato dos Trabalhadores do Comércio e Serviço (STCS) João Mette, que vinha liderando a greve cujo motivo anunciado alegava falta de entendimento nas negociações entre o Governo e os sindicatos.
João Mette, que disse ainda que a greve se deve à aprovação do novo estatuto sem que os agentes tenham participado, considera “injusta” a lei da requisição civil, já que na sua perspectiva esvazia completamente o sentido da greve.
“A greve é para ser sentida, pelo que caso contrário não tem razão de ser. Existe uma lei da greve, mas o Governo com a lei da requisição põe em causa o direito dos trabalhadores à greve, pelo que há de se pensar na possibilidade de alteração dos dispositivos legais que regulam a requisição civil”, disse.
Face a essa requisição, acrescentou, na Praia vai-se trabalhar com um efectivo de 78%, em São Vicente 90%, nas ilhas do Fogo, Sal e Santo Antão 100%.
Segundo o presidente do Sindicato dos Trabalhadores do Comércio e Serviço (STCS), o suspender da greve não significa “derrota”, mas sim recuar para redefinir uma nova estratégia de luta por parte dos agentes prisionais.
“Ainda nesta luta, temos a possibilidade de veto do Presidente da República para não homologar o estatuto aprovado em Conselho de Ministros à revelia da classe que nem conhece bem os meandros deste documento”, garantiu.
Da negociação face ao estatuto e que não se chegou a nenhum acordo, João Mette, indicou como mais grave o cargo de direcção e a evolução na carreira, salientando por outro lado, que mais de trinta artigos do estatuto não foram discutidos com a classe.
O presidente da Associação dos Agentes de Segurança Prisional (AASP-CV), Bernardino Semedo, que manifestou o seu repúdio quanto à atitude do Governo em acabar com a greve através da requisição civil, afirmou que tal decisão não foi nenhuma “surpresa”.
“A luta vai continuar, pois, não está em jogo o salário como o Governo quer dar a entender. O que queremos é que decidam sobre as promoções, condições de trabalho de agentes prisionais, progressão, pré-aposentação e outros”, disse.
Segundo Bernardino Semedo, os agentes prisionais não querem ser “robot”, mas sim “excelente” profissionais, pelo que exigem maior dignidade para o estatuto da classe.
A greve de uma semana anunciada pelo Sindicato dos Trabalhadores do Comércio e Serviço fica assim suspensa após a requisição civil de 73 trabalhadores para garantir serviços mínimos nas cadeias centrais e regionais.
De acordo com a portaria do Ministério da Justiça e Trabalho, a requisição civil terá a duração de 168 horas, compreendidas entre as 08:00 do dia 03 de Agosto e 08:00 do dia 10 de Agosto de 2020.

Dans la même catégorie