ANG « Vazadouro de lixo de Antula ameaça saúde dos populares locais », afirma responsável de saneamento da CMB ANG « Sucessivos governos ignoram estratégias da defesa militar do país », diz o CEMFA ANG Partidos políticos defendem observância das leis que regulam processo eleitoral ANP Niger : La prévalence du diabète de 4,3% est une des plus élevées de la sous-région (Ministre) MAP Kenya: Huit armes à feu, des relevés bancaires et des appareils électroniques saisis aux bureaux et domicile du gouverneur de Migori ABP Les quotidiens à fond sur l’exécution du budget de l’Etat gestion 2019 ANP Le pétrole a procuré des recettes cumulées de plus 650 milliards de FCFA et créé 7000 emplois au Niger ABP Bénin: Les autorités judiciaires en conclave à Djougou pour maîtriser le phénomène de criminalité dans la Donga ABP Des professionnels des médias sensibilisés sur le concept de la police communautaire MAP UNESCO: Le Ghana lance son plan d’action pour la mise en œuvre du Programme sur l’Homme et la biosphère

ICCA exorta agências e guias turísticos a absterem-se de ver crianças vulneráveis como foco de atracção turística


  8 Novembre      8        Economie (20992),

   

Espargos, 08 Nov (Inforpress) – A delegada do Instituto Cabo-verdiano da Criança de do Adolescente (ICCA), na ilha do Sal, exortou hoje as agências e guias turísticos a não verem a pobreza e crianças de famílias vulneráveis como foco de atracção turística.

Queila Soares lançou este apelo ao reagir à notícia veiculada pela Inforpress sobre menores envolvidos em alegados “esquemas de turismo sexual” em que o Instituto Cabo-verdiano da Criança e do Adolescente (ICCA) teria encaminhado para o Ministério Público três denúncias de menores da localidade de Terra Boa, na ilha do Sal, envolvidos nesses alegados “esquemas”.

“Em relação à questão do turismo e os projectos sociais de Terra Boa, o ICCA tem trabalhado muito na monitorização e fiscalização destas associações e projectos, não só em Terra Boa, mas também de outros sítios”, lançou a responsável, uma forma de prevenção, ajuntou, pelo que a organização criou instrumentos de trabalho para que todos possam partilhar sobre a postura do turista ou qualquer outro visitante a estas associações.

“As crianças não devem ser foco de atracção turística. Como forma de prevenção, apelamos às agências e aos guias turísticos a não verem a pobreza, as crianças dessas famílias como foco de atracção turística”, reiterou, em tom de lamento.

SC/AA

Inforpress/Fim

Dans la même catégorie