MAP Beach soccer:  » Mon objectif, c’est de qualifier le Maroc à la Coupe du Monde 2024  » (sélectionneur) MAP Rabat : Cérémonie en l’honneur des pugilistes marocains sacrés au championnat d’Afrique Elite et au championnat arabe Juniors GNA Ghana trains Rwandan FDA on WHO Benchmarking Tool GNA More people queue for power at Legon ECG sub-station GNA Stakeholders laud VRA for sustainable growth, impressive operational performance GNA Ghana grateful to UK for funding research into Non-Communicable Diseases GNA Mental Health Week launched in Tamale GNA Problem-solving based education curriculum is crucial for sustainable national economic growth GNA Africa’s mineral wealth remains key driver of its transformation- Ambassador Muchanga AIP Côte d’Ivoire-AIP/Des jeunes entrepreneurs formés à la digitalisation de leurs activités

IGT dá ultimato de cinco dias ao Grupo Hoteleiro Meliã para repor pagamento dos 35% aos trabalhadores


  10 Novembre      35        Economie (16062),

   

Cidade da Praia, 10 Nov. (Inforpress) – A Inspecção-Geral do Trabalho (IGT) outorgou um ultimato de cinco dias, a partir de sexta-feira, 06, para que o Grupo Hoteleiro Meliã no Sal reponha o pagamento da totalidade dos 35 por cento aos trabalhadores abrangidos pelo “lay-off”.
Esta posição foi revelada segunda-feira em conferência de imprensa pelo inspector-geral do Trabalho, Anildo Fortes, que acusou a secretária-geral da União Nacional dos Trabalhadores de Cabo Verde, Central Sindical (UNTC-CS), Joaquina Almeida, de pautar-se por “inverdades” acerca da actuação da IGT, sem que se inteirasse dos procedimentos que estão sendo feitos.
Fortes aconselhou os sindicatos a enveredarem-se por “um papel pedagógico no sentido de informar e instruir os trabalhadores, para em caso da violação dos seus direitos laborais” inteirar-se dos procedimentos a seguir, sobretudo neste “momento difícil em que o mundo e o país está a atravessar…com consequência no sector económico e laboral”.
Para o efeito, instou das instituições e das pessoas que representam os sindicatos “responsabilidade, seriedade e muita ponderação”, tendo apelado à união de esforços na procura de soluções”, visando “ultrapassar esta crise, com o intuito de voltar à normalidade a todos os níveis”.
“A IGT está atenta a qualquer situação que possa pôr em causa os direitos laborais e apela os trabalhadores a usarem os canais disponíveis para denunciarem qualquer violação dos seus direitos, utilizando a linha grátis 800 27 27 ou presencialmente os serviços da IGT nas ilhas do Sal, São Vicente e Santiago”, afiançou Anildo Fortes.
Em resposta à UNTC-CS, que acusou o IGT de “inércia e passividade” para com o direito destes trabalhadores, Anildo Fortes disse que a instituição que dirige tem apoiado os trabalhadores a todos os níveis, sublinhando que os trabalhadores foram ouvidos pelo que a empresa tem cinco dias para provar que sanou a irregularidade cometida.
Às críticas da UNTC-CS, disse que a IGT afigura-se como uma instituição credível, e exortou a secretária-geral desta organização sindical a informar-se das diligências, afiançando mesmo que já está habituado “a essas declarações bombásticas” desta líder sindical “sem se estar por dentro dos factos”.
Na sexta-feira, 06, a secretária geral da UNTC-CS denunciara a “passividade e inércia” das autoridades do trabalho do Sal, da Inspecção Geral do Trabalho e poder judicial com o argumento de que aquela unidade hoteleira “viola frontalmente a lei cabo-verdiana e adopta medidas ilegais ao atribuir 11.000 escudos aos trabalhadores”.

Dans la même catégorie