ANP Réunion du comité de Pilotage du suivi de la mise en œuvre de la stratégie Nationale de lutte contre la Corruption et les Infractions Assimilées au Niger APS Coupe du monde des clubs: Al-Hilal en finale APS Le DG de la SN-APS participe par visioconférence à un festival documentaire chinois APS La SONACOS va dégager  »10 à 13 milliards de FCFA » pour la prochaine campagne de commercialisation (DG) APS Pape Mamadou Sy rêve de signer un contrat professionnel avec un grand club MAP RDC: trois manifestants tués lors de l’attaque d’un convoi de l’ONU (MONUSCO) MAP RCA: Plus de 400 millions de dollars nécessaires pour répondre aux besoins humanitaires en 2023 (ONU) MAP Institut Mohammed VI pour la formation des Imams, Morchidines et Morchidates : 2.798 bénéficiaires issus de pays africains (ministre) MAP L’Angola et l’Espagne renforcent leur coopération bilatérale MAP Mali: deux policiers et un gendarme tués dans l’Ouest du pays

Ilha do Maio vai ter nova infra-estrutura de fibra óptica para “resolver problemas” de conectividade


  9 Février      28        Technologie (781),

   

Cidade da Praia, 09 Fev (Inforpress) – A ilha do Maio vai contar até sexta-feira, 11, com uma nova infra-estrutura baseada em fibra óptica, que irá “resolver os problemas” de conectividade, que tem posto em causa o fornecimento dos serviços, anunciou o Nosi.

A garantia foi dada aos jornalistas após a assinatura de um protocolo, hoje nas instalações do Data Center, na Cidade da Praia, entre o presidente do conselho de administração do Núcleo Operacional para a Sociedade de Informação (Nosi), Carlos Tavares Pina, e o presidente da Câmara Municipal do Maio, Miguel Rosa.

“Até sexta-feira em princípio teremos uma nova infra-estrutura de conectividade baseada em fibra óptica, o que vai resolver de vez o problema da conectividade, um problema que põem em causa o fornecimento dos serviços, que acaba por falhar não propriamente por causa do sistema, mas pela dificuldade de conectividade”, prometeu o presidente do conselho de administração do Nosi.

Este responsável explicou que o protocolo pretende criar as condições para melhorar os serviços que já fornecem a nível de conectividade e os serviços de gestão municipal, mas sobretudo numa perspectiva futura, tendo em conta que se está na era digital.

“O Nosi sendo uma entidade pública empresarial com uma responsabilidade muito grande a nível da governação digital almeja também com este acordo permitir estar ao lado da câmara municipal, das empresas, e de toda a ilha neste processo de transição digital”, sustentou.

Com este protocolo, assegurou o responsável, “não haverá disrrupção de serviços” e vai fazer com que os serviços passem a ser disponibilizados online, de modo que, em qualquer sítio, as pessoas das zonas mais distantes poderão aceder aos serviços camarários.

Na mesma ocasião foi apresentado pelo Nosi, o SIMple, ou seja, uma nova versão do Sistema de Informação Municipal (SIM), que irá conferir “total desmaterialização” dos processos e respostas céleres às necessidades dos munícipes e empresas, e contribuir para a transformação digital da ilha do Maio de forma “harmoniosa e equilibrada”.

Além da ilha do Maio, o Nosi tem o mesmo acordo com o município de São Miguel, com os municípios da Boa Vista e dos Mosteiros, e segundo o seu presidente neste momento encontra-se em negociação com outros concelhos, prevendo até o final de Março estabelecer esta parceria com todos os municípios do País.

Por sua vez, o presidente da Câmara Municipal do Maio, Miguel Rosa, afirmou que ambiciona transformar o Maio numa ilha 100% digital, um projecto que já vem desde 2019, mas que neste momento se está na fase de conclusão da sua implementação.

Por isso, disse entender que toda essa relação de partilha entre as entidades só é possível se houver uma simbiose, não só em partilha de ideia, de visões, mas também de responsabilidade das partes.

“Mas não podemos falar do desenvolvimento que nós ambicionamos para a ilha do Maio sem fazer referência a dimensão tecnológica e digital do desenvolvimento, e neste aspecto, o queremos é precisamente acelerar a resposta aos nossos utentes, aos maienses, mas também aos agentes e actores económicos”, concretizou.

Para Miguel Rosa, a questão dos custos de investimento deve ser absorvida pelos utentes e, neste caso, pelas instituições e a câmara do Maio, prometendo honrar o compromisso e também exigir que o Nosi cumpra as suas responsabilidades, porque só assim, finalizou, o Maio vai ser uma ilha que “todos ambicionam”.

Dans la même catégorie