MAP La BAD et Inwi scellent un partenariat pour soutenir les start-up innovantes MAP Remise du prix Brahim Akhiat pour la diversité culturelle dans sa 2ème édition MAP M. El Malki se félicite du cheminement de la coopération avec le FOPREL MAP Une association marocaine lauréate du Prix Prince Mohamed Ben Fahd pour la meilleure action caritative MAP Le Maroc, pionnier dans la lutte contre la pandémie du coronavirus (Nabil Benabdallah) MAP Groupe de soutien à l’intégrité territoriale du Maroc à Genève: plein appui à la souveraineté du Royaume sur son Sahara MAP Marrakech : Immersion dans l’univers artistique d’Isabel Alonso Vega et Bence Magyarlaki MAP Covid-19: le HCR et la JICA mettent en place un projet de 275.000 dollars en faveur des réfugiés résidant au Maroc MAP L’artiste-plasticien Abderrahim El Hassani expose ses œuvres à Fès AGP Boké/société: Le siège de la préfecture, nouvelle cible des voleurs de motos

Ilha do Sal: Alex Saab transferido para prisão domiciliar na zona sul da ilha


  26 Janvier      10        Justice (1056), Société (29244),

   

Espargos, 26 Jan. (Inforpress) – O empresário colombiano Alex Saab foi esta tarde transferido para prisão domiciliária na zona sul da ilha do Sal, mediante mandado de soltura, sob forte dispositivo de segurança.
Alex Saab, considerado testa-de-ferro de Nicolas Maduro, Presidente da Venezuela, estava detido na cadeia de Terra Boa desde Junho de 2020, agora libertado para cumprir prisão domiciliária, vai ficar guardado sob “forte vigilância” da Policia Nacional (PN), num perímetro considerável de segurança, soube a Inforpress.
A libertação desse indivíduo deve-se ao facto de se ter expirado o prazo legalmente fixado para a detenção provisória com vista à extradição.
Conforme documento a que Inforpress teve acesso, o pedido de extradição continuará a sua tramitação nos termos legais até a decisão final.
Alex Saab foi detido em 12 de Junho pela Interpol e pelas autoridades cabo-verdianas, durante uma escala técnica na ilha do Sal, com base num mandado de captura internacional emitido pelos EUA.
A detenção foi classificada pelo Governo da Venezuela como “arbitrária” e uma “violação do direito e das normas internacionais”, tal como as “acções de agressão e cerco contra o povo venezuelano, empreendidas pelo Governo dos Estados Unidos da América”.
Saab era procurado pelas autoridades norte-americanas há vários anos, suspeito de acumular numerosos contratos, de origem considerada ilegal, com o Governo venezuelano de Nicolás Maduro.
Em 2019, procuradores federais em Miami (EUA) indiciaram Alex Saab e um seu sócio, por acusações de operações de lavagem de dinheiro, relacionadas com um suposto esquema de suborno para desenvolver moradias de baixa renda para o Governo venezuelano, que nunca foram construídas.

Dans la même catégorie