MAP Afrique centrale : La BDEAC cherche plus de 457 millions d’euros sur le marché sous-régional GNA Election 2020: The man John Dramani Mahama APS COVID-19 : 80 NOUVELLES INFECTIONS, UN DÉCÈS SUPPLÉMENTAIRE ANP Pandémie de la COVID-19 : Rebond de la maladie et augmentation du nombre des décès au Niger ANP Le Niger compte investir plus de 58 milliards de fcfa pour connecter 2.111 villages ruraux à l’internet ANP Niger : Le directeur général de l’ARSN prête serment devant la cour d’appel MAP Lutte anti-Covid: Le leadership du Maroc lui permet de s’ériger en plateforme de production vaccinale pour l’Afrique (Journal italien) GNA New NHC President joins Council of State AIP Côte d’Ivoire-AIP/ Laurent Gbagbo reçoit ses passeports (Avocat) ACI Congo/Elections : Vers la mise en place des commissions de travail

Ilhas do Fogo e do Maio classificadas como Reserva Mundial da Biosfera pela UNESCO – Governo


  28 Octobre      13        Environnement/Eaux/Forêts (2293),

   

Cidade da Praia, 28 Out (Inforpress) – As ilhas do Fogo e do Maio foram classificadas como Reserva Mundial da Biosfera pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), anunciou hoje o ministro da Cultura e das Indústrias Criativas.
Para Abraão Vicente, que diz ter acabado de receber esta notícia de validação desses dois dossiês durante um webinar realizado pela UNESCO e que está a decorrer neste momento, é mais uma “grande honra” para ele, enquanto presidente da Comissão Nacional da UNESCO, de ver Cabo Verde a atingir mais estes dois “grandes feitos”, depois de ter a morna classificada a património da humanidade.
“Ter essas duas ilhas classificadas e inscritas como reserva mundial da biosfera significa que Cabo Verde e os técnicos cabo-verdianos têm feito o seu trabalho com perícia com dedicação e com empenho”, considerou.
Abraão Vicente, que fez este anúncio durante o discurso de tomada de posse dos membros do Conselho Científico do Instituto do Património Cultural (IPC), realçou que este não é um “trabalho político”, mas é, sobretudo, um trabalho técnico de integração de expertise cabo-verdiana dentro daquilo que são os padrões internacionais.
Esta classificação, ajuntou, terá “impacto extraordinário” naquilo que é a projecção e a planificação das duas ilhas para o futuro.
“Cabo Verde inscreve-se num grupo de restritos países que tem duas biosferas. O nosso território tão pequeno e com duas ilhas classificadas totalmente, todo o seu território, como reserva mundial da biosfera. Impõe-nos desafios científicos brutais, extraordinários, e a instalação do concelho científico do instituto não poderia vir em melhor hora “, acentuou.
O desafio agora, apontou, é conectar essa comissão à Comissão Nacional da UNESCO dando força à vice-presidência da Comissão Nacional da UNESCO, ligado ao ambiente, para que o País possa ser no futuro um “exemplo na implementação do plano da biosfera”.
A declaração oficial sobre este processo será feita, posteriormente, pelo ministro da Agricultura e Ambiente, Gilberto Silva, enquanto vice-presidente da Comissão Nacional da UNESCO, que acompanhou todo o dossiê de candidatura.

Dans la même catégorie