ANP Ouverture des frontières terrestres au Niger : Les transporteurs interurbains reprennent progressivement le trafic vers l’international ANP Séance de questions d’actualité au Parlement : Quatre membres du Gouvernement interpelés devant le parlement ANP Niger : 7 nouveaux membres de la haute cour de justice prêtent serment devant le parlement GNA ECOWAS pushes launch of single currency to 2027 GNA ADB holds customer appreciation get-together APS LIGUE DE SAINT-LOUIS : LES INTERNATIONAUX APPORTENT LEUR SOUTIEN À AMARA TRAORÉ APS TAMBACOUNDA : UNE SUBVENTION DE PRÈS DE 14 MILLIONS POUR LES COMITÉS DE DÉVELOPPEMENT DE QUARTIERS APS PREMIÈRE CÉRÉMONIE DE GRADUATION DE L’ÉCOLE MAARIF DE THIÈS APS LE PRÉSIDENT SALL FINIT SA TOURNÉE EN INAUGURANT UN DAARA ET UN RACCORDEMENT ÉLECTRIQUE GNA KAIPTC to hold regional security stakeholders meeting in Banjul

Instituto Património Cultural socializa projecto Museu da Emigração e diz-se aberto a subsídios


  20 Octobre      18        Arts & Cultures (1644),

   

Cidade da Praia, 20 Out (Inforpress) – A técnica do Instituto do Património Cultural (IPC), Rosângela Miranda, socializou segunda-feira o projecto Museu da Emigração, afirmando que o IPC está aberto para acolher mais sugestões de quem queira contribuir para que o museu tenha mais qualidade.

Rosângela Miranda explicou ainda que se trata de um “projecto ambicioso” em que a contribuição dos emigrantes cabo-verdianos será importante. Entretanto, esclareceu que o IPC irá ao encontro de outros parceiros com que quer trabalhar para materializar o museu, nesta fase de socialização e recolha de subsídios.

Esta técnica do IPC, que apresentou o projecto em live no Facebook do IPC, ressaltou ainda que o Museu da Emigração é um compromisso com a história de Cabo Verde.

“São percursos factos que merecem do nosso País a valorização, divulgação e, sobretudo, a preservação que é a própria história do País e do homem cabo-verdiano”, disse Rosângela Miranda, completando que o projecto reúne consenso ao mais alto nível.

Rosângela Miranda frisou, igualmente, que o referido museu servirá de “palco” para a Diáspora cabo-verdiana, preservando memórias, factos e todo o património constituinte da temática migratória cabo-verdiana.

Miranda realçou ainda, que o Museu da Emigração será um espaço educativo e também de estudo e investigação científica voltado na preservação e comunicação das expressões materiais e imateriais simbólicas do universo migratório cabo-verdiano.

Entre os objectivos, explicou, pretende-se com a montagem deste museu promover o conhecimento e a reflexão da migrações cabo-verdianas, consolidar a referência da cabo-verdianidade, garantir que a temática emigração seja abordada de forma interativa e criar pequenos núcleos do Museu da Emigração nos países de acolhimento onde há maior concentração dos cabo-verdianos.

GSF/FP

Dans la même catégorie