AIP L’opération de salubrité autour des services publics de Divo porte ses fruits AIP Mariatou Koné présente les acquis de la politique d’inclusion numérique et financière AIB Une délégation de l’Union européenne échange avec l’Union Béogo Néeré de Toudbwéoghin AIB Gaoua/Football : Gbomblora remporte la 4e coupe Sifoka AIB Tuerie au Centre-nord et quota genre, en couverture des quotidiens burkinabè ANP Le Chef de l’Etat visite le chantier d’aménagement du nouveau Ministère des Finances et celui de Gountou Yena ANP Maradi : revue annuelle du Comité de pilotage du Programme de Coopération Niger-UNICEF 2019-2021 GNA Ghanaians advised to see elections as a developmental decision GNA Timing for new register will not favour fishermen GNA NDC communicates grievance on new voters’ register on placards

José Sanches desiste de candidatura à liderança do PAICV


  9 Décembre      17        Photos (3708), Politique (7386),

   

Cidade da Praia, 09 Dez (Inforpress) – O deputado do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV-oposição), José Sanches, anunciou que não vai candidatar-se à liderança do partido por considerar haver “manipulação” e “degradação” de princípios e valores edificados pelo partido democrático.

José Sanches fez este anúncio numa declaração à imprensa efectuada na manhã deste sábado, na Assembleia Nacional, tendo na altura afirmado que “pela primeira vez no mundo um partido democrático vai ao congresso com um número maior de delegados natos em relação a delegados a serem eleitos”.

A Janira, ou seja, a direcção do PAICV tem como delegados natos 193 delegados para o congresso e falta eleger 171, o que é inédito na democracia a nível mundial. Antes das eleições internas a actual líder do partido já tem vitória conseguida com cerca de 60%”, destacou.

Segundo José Sanches, a direcção do PAICV tudo fez para “inviabilizar” a sua candidatura que, no seu ponto de vista, estava a merecer “uma grande simpatia dos militantes.

O deputado do PAICV disse, ainda, que a direcção do partido sempre concebeu estas eleições internas como um simples escrutínio de recondução, pelo que, furtaram-se ao dever de colaboração, e socorrendo-se de todo o tipo de armadilha, inviabilizaram a candidatura de uma proposta alternativa de governação do partido aos militantes.

A sonegação da base de dados solicitados, não nos foi facultado, a criação de comissões para organização do congresso e criação de comissão para revisão dos estatutos do partido, com elementos afectos a uma única candidatura, e redução de número de militantes cerca de 36 mil para 30 mil foi um assalto ao partido”, acrescentou.

Porém o mais grave de tudo isso, conforme José Sanches, consiste na redução do número de delegados ao Congresso de cerca de 500 ou 600 para 364 delegados.

O deputado do PAICV ressaltou, ainda, que era o seu desejo fazer desta jornada um momento de reflexão e recuperação do partido, pois, os cabo-verdianos merecem que o PAICV seja coeso e aja na tolerância e diálogo, sem que a oposição contrária seja arma de eliminação de qualquer militante que não esteja atado à actua liderança.

Com tudo isto decidimos viver pela democracia com transparência, com verdade e sem medo. Hoje é nosso propósito afirmar a Cabo Verde e cabo-verdianos que não vamos inviabilizar esta farsa que se convencionou chamar de eleições internas do PAICV”, ajuntou.

Na sua declaração, José Sanches reafirmou a sua disponibilidade em continuar o seu projecto de unir e trabalhar pela unidade dos membros do PAICV.

O Congresso do maior partido da oposição vai acontecer com 364 delegados, sendo 121 delegados natos, 36 quota do JPAI, 36 quota para Federação das Mulheres e 171 delegados eleitos.

PC/ZS

Inforpress/Fim

Dans la même catégorie