GNA NPP delayed Bolga-Bawku-Pulimakom road construction GNA Ghana to host 2021 West Africa Conference on CelebrateLAB GNA Aburihene confers ‘maawerehene’ title on President Akufo-Addo GNA Dr Kingsley Nyarko donates street lights to Kwadaso Municipal Assembly AGP Tournoi UFOA U20 : La Guinée domine la Mauritanie (1-0). AGP Nzérékoré/Insécurité : Cinq bandits présentés aux autorités préfectorales AGP Nzérékoré/Covid-19 : 21 enseignants formés en technique de communication et d’engagement communautaire AGP Guinée/Santé : La prévalence nationale des MGF est de 95% selon l’enquête démographique de Santé Publique de 2018 AGP Guinée/Covid19 : ‘’Des Covid-héros’’ récompensés  par l’Agence More & More APS GESTION DES DÉCHETS : UNE CAMPAGNE POUR UN CHANGEMENT DE COMPORTEMENT LANCÉ À TIVAOUANE

Justiça/Colectivos de Advogados de Aristides Gomes considera de “perseguição política” novas acusações contra o seu constituinte


  4 Novembre      14        Justice (930),

   

Bissau, 04 Nov 20 (ANG) – O Colectivo de Advogados que defendem o ex-Primeiro-ministro Aristides Gomes, consideraram hoje de “perseguição política” novas acusações feitas pelo Ministério Público (MP) contra o seu constituinte.

Em conferência de Imprensa, um dos advogados de Aristides Gomes, Suleimane Cassamá disse  que o próprio Procurador Geral da República, Fernando Gomes demonstrou claramente,  com a “invenção” de um processo em que um determinado número de seguidores do mesmo, têm o conhecimento que não é e nem podia ser.

“Em busca de novos elementos, o actual PGR trouxe a ribalta o famoso caso arquivado de 637 quilos de drogas, em que o ex-Primeiro-ministro Aristides Gomes na altura nem sequer teve como intervir no caso”, sustentou o advogado.

Acrescentou que as pessoas que estiverem directamente envolvidas no caso 637 quilos de drogas apreendido pela Policia Judiciária (PJ), e transportados para o Tesouro Público, estão presentes e que o PGR não teve ousadia de mencionar os nomes de nenhum dessas pessoas.

“O pior de tudo é que aquele processo foi simplesmente arquivado, porque o Ministério Público não conseguiu sustentar a acusação com base e fundamentos objectivamente válidos”, afirmou Suleimane Cassama.

Cassamá referiu que o Ministério Público tinha insistido em recorrer do despacho, mas  que o Tribunal de Relação acabou por confirmar o mesmo despacho, recusando a continuidade do processo em relação a Aristides Gomes.

Acrescentou que não se compreende agora o porquê de o PGR, venha falar agora sobre o mesmo processo, se não é uma clara perseguição política e tentativa de denegrição de imagem do mesmo.

Dans la même catégorie