ANG Cooperação/ONU apresenta quinta-feira novo quadro de cooperação com Guiné-Bissau ANG Turismo/Ministério e o Grupo Rahal CI assinam Memorando de Entendimento para a infra estruturação do sector no país ANG Eleições/Primeiro-ministro reafirma « empenhamento total » para que legislativas ocorram em dezembro AIP Côte d’Ivoire-AIP/ 125 étudiants de l’Ecole africaine et malgache de l’architecture et de l’urbanisme reçoivent leurs diplômes AIP Côte d’Ivoire-AIP/ La 6e édition des Journées de l’orientation du bachelier ouverte sous le sceau du numérique et des innovations pédagogiques AIP Côte d’Ivoire-AIP/ Le Niger s’inspire de l’expérience ivoirienne en matière de télévision numérique terrestre AIP Côte d’Ivoire-AIP/ Le RAIDH renforce les capacités des jeunes sur l’utilité des institutions dans le renforcement de la démocratie ANP Le Gouverneur de Maradi prévient les cadres régionaux sur la consommation du carburant fraudé AIP La dynamique coopérative recommandée pour une meilleure rentabilité des activités avicoles AIP La paroisse saint Jean d’Aboisso inaugure sa grotte mariale

Lisboa acolhe exposição de peças africanas


  19 Novembre      56        Arts plastiques (52), Culture (800), Photos (4447),

   

Bissau, 19 nov 18 (ANG) –  Uma exposição denominada « Contar África » vai ser inaugurada no dia 25 de Novembro, no Padrão dos Descobrimentos, em Portugal, noticia a LUSA.

Coordenada por António Camões Gouveia, a exposição que reúne peças escolhidas por 45 investigadores estudiosos da África, é « um exercício da descoberta de África e das muitas África que a compõem », segundo a organização.
A exposição que vai até 21 de Abril, é o resultado de um « exercício científico -museológico », cujo desafio foi « contar África, e não a visão que de África tiveram os portugueses », explicou António Camões Gouveia.
Cada peça conta uma história e resulta numa análise e reflexão por parte de quem a escolheu.
O objectivo da organização é que o conjunto das peças « conte a história de uma África plural ».
As escolhas dos investigadores e especialistas são a base do desenho da narrativa museológica que forma um circuito de visita, que é aberto e não condicionado.
Alexandra Curvelo, Ângela Barreto Xavier, Beatriz Gomes, Carlos Sousa, Catarina Madeira Santos, Edalina Sanches, Filipa Lowndes Vicente, Hugo Ribeiro da Silva, Inês Beleza Barreiros, Joacine Katar Moreira, João Vasconcelos, Manuel dos Santos, Maria Emília Madeira Santos, Nuno Domingos, Nuno Senos, Paulo Almeida Fernandes, Ricardo Roque e Santiago Macías são alguns dos 45 investigadores que escolheram as peças para a mostra.
António Camões Gouveia, nascido em 1958, é licenciado em História, pós-graduado em História Cultural e Política e doutorado em História e Teoria das Ideias, especialidade em História das Ideias Sociais, pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, onde dá aulas desde 1981.
Lecciona História da Sociedade e da Cultura, dos séculos XVI a XVIII, e da programação de cultura.

ANG/Angop

Dans la même catégorie