ANP Le Président Issoufou Mahamadou reçoit l’Ambassadeur du Japon au Niger MAP CHAN-Cameroun 2021 : Résultats des matches du mardi 26 janvier ANGOP COVID-19: ANGOLA REGISTA 77 NOVOS CASOS E 61 RECUPERADOS NAS ÚLTIMAS 24 HORAS MAP CHAN des joueurs locaux (3è journée/Groupe C) : Le Maroc bat l’Ouganda (5-2) et passe en quarts de finale MAP Nigeria : Buhari remplace les principaux chefs de l’armée MAP L’accélérateur marocain « La startup Factory » reçoit le Label AFRIC’INNOV APS COVID-19 : A FATICK, LES DOUANES SE MOBILISENT CONTRE TOUT TRAFIC ILLICITE DE DOSES DE VACCINS AIP Côte d’Ivoire-AIP/Les retraités de la CGRAE se forment pour l’amélioration de leurs conditions de vie AIP Côte d’Ivoire – AIP/ Plus de 850 personnes bénéficient du FASI dans la région du Worodougou AIP Côte d’Ivoire – AIP/ 53 personnes recrutées pour les THIMO à Séguéla

Literatura: Vera Duarte viaja em “Contos Crepusculares Metamorfoses” para abordar problemáticas sociais


  14 Janvier      14        Arts & Cultures (1403),

   

Cidade da Praia, 14 Jan (Inforpress) – “Contos Crepusculares-Metamorfoses” é a obra que marca a estreia da escritora cabo-verdiana Vera Duarte neste género literário, em que a desembargadora traz seis contos ligados a algumas problemáticas da sociedade cabo-verdiana.

O livro, que será lançado na tarde de hoje, às 17:00, na Biblioteca Nacional, na cidade da Praia, segundo revelou a escritora à Inforpress, é uma crítica a determinado comportamento que gostaria de ver erradicado da sociedade.

Assim, através destes contos que fazem a “efabulação” a autora aborda a problemática da pedofilia, da violência baseada no género, do machismo, da questão da emancipação e empoderamento da mulher.

“São contos com história, mas no fundo consegue-se retirar de cada um dos contos alguma ideia mestra e a ideia mestra muitas vezes é ou combater ou apoiar algo que me parece deve ser combatido ou apoiado ou aplaudido”, precisou Vera Duarte.

No fundo, adiantou, é a literatura a lançar um olhar crítico sobre a sociedade cabo-verdiana e a “trazer alguma achega” em prol da liberdade, da dignidade e de outros valores que “movem a sociedade e que gostariam de ver implantado e segmentado na sociedade”.

Em todos esses temas, informou, há uma espécie de “efabulação” que a leva a recorrer a este estilo do “realismo mágico” para lhes enquadrar.

“Eu não quero dizer muito para não revelar a essência dos contos, mas em cada um deles alguns dos personagens depois, por um motivo e por outro, se transformam como se fosse uma espécie de castigo por algum acto que eles tenham cometido, então daí é que ao ver esta linha comum ao aproximar os seis contos vem esse nome de metamorfose”, adiantou.

A desembargadora, poeta e ficcionista, que ao longo da sua vida literária aventurou-se sempre pela poesia, romance e ensaios, espera que o público possa participar nesta “festa” de lançamento e tenha a oportunidade de ler esta obra, que, a seu ver, está “muito apelativa”.

A apresentação deste livro, com a chancela da Livraria Pedro Cardoso, estará a cargo da escritora Maria Augusta Teixeira (Mana Guta) e da activista social Graça Sanches.

Para além de “Contos Crepusculares-Metamorfoses”, a escritora conta ainda em meados deste ano dar à estampa um novo livro de romance e na forja estão ainda mais dois livros.

AM/ZS

Dans la même catégorie