APS ’’CASH TRANSFER’’ : PLUS DE 2 MILLIARDS CFA AUX MÉNAGES DE KAFFRINE APS « RAABI », LE DESTIN TRAGIQUE DE LA FEMME SÉNÉGALAISE SUR LES PLANCHES DE SORANO AIP Une mission de redynamisation du comité local de lutte contre la migration irrégulière à Daloa AIP Un plan d’action en élaboration pour repenser le système LMD dans le supérieur public AIP Le budget triennal 2023-2025 de la commune de N’douci en hausse APS Un animateur de radio invite les jeunes chanteurs à davantage s’inspirer du folklore local APS SAINT-LOUIS : LES PARTENAIRES SOCIAUX INVITÉS À PRIVILÉGIER LE DIALOGUE APS Diverses activités culturelles au menu du Festival de cinéma « Les Téranga » APS 1,4 milliards FCFA pour soutenir des projets de la Grande muraille verte GNA NASPA launches 12th annual terminal congress in Takoradi

Madem G-15 contra mexidas no Governo sem aval dos partidos que integram coligação governamental


  28 Janvier      27        Politique (20617),

   

Bissau, 28 Jan 22 (ANG) – O Movimento para Alternância Democrática (MADEM-G-15), uma das formações politicas que sustenta a actual coligação governamental, demarcou-se da nova remodelação no Governo, alegando que tal não deve acontecer antes da reunião da cimeira da Aliança que sustenta o executivo.

De acordo com uma carta desta formação politica derigida ao Chefe de governo à que a ANG teve acesso, datada de 26 do corrente mês, Madem G15 salienta que essa reunião serveria para as partes analisarem juntas as propostas das mexidas no executivo feitas pelo Presidente da República com a proposta do Primeiro-ministro.

“No passado dia 25 de Janeiro do ano 2022, o Chefe do Governo reuniu, no seu gabinete, com a Direcção do MADEM, representada pelo seu primeiro-vice Coordenador, Luis Oliveira Sanca e pelo seu Secretário-geral, Abel da Silva aos quais informou das intensões do Presidente da República de fazer uma mudança profunda no Governo”,lê-se no documento.

E na sequência dessa reunião, segundo a carta, Madem decidiu que não se deveria avançar com a referida remodelação sem antes, reunir a cimeira de Aliança que sustenta o Governo, uma vez que esta é composta por um acordo parlamentar com base alargada que inclui o Madem G15, o PRS, PND, uma parte dos deputados do APU-PDGB e do PAIGC, e dos candidatos as últimas eleições presidenciais, Carlos Gomes Júnior e José Mário Vaz.

No documento, Madem G-15 sustenta que, considerando a necessidade imperiosa de se preservar a paz social que o país tanto almeja e a necessidade de salvar a legislatura em curso esta formação politica solicita, com caracter de urgência, ao Primeiro-ministro a convocação da cimeira dos lideres desta Aliança para se debater sobre as propostas de remodelação.

A carta ainda refere que uma remodelação governamental fora desse quadro, não será caucionada pelo Madem G15 e consequentemente, carecerá de respaldo parlamentar desta formação politica na Assembleia Nacional Popular.

Os membros do governo nomeados em consequência da referida remodelação, tornada pública dia 26, pela Presidência da República foram, esta sexta-feira, empossados nas funções, numa cerimónia assitida pelo Primeiro-ministro, Nuno Nabiam.

Dans la même catégorie