AGP Gabon: L’Institut Français du Gabon rouvre ses portes au public AGP Gabon/Justice: Les séminaristes édifiés sur le nouveau Code civil gabonais APS CANCERS DU COL DE L’UTÉRUS ET DU SEIN : 90% DES FILLES VACCINÉES À KAFFRINE APS HUIT NOUVEAUX CAS DE COVID-19 AGP Gabon: Délibération du BEPC et CEP à partir de ce dimanche 25 octobre AIP Côte d’Ivoire-AIP/ COVID-19: Don d’une Fondation à des structures du ministère en charge de la Santé AIP Côte d’Ivoire-AIP/ Présidentielle 2020: Des postes téléviseurs et décodeurs offerts aux chefs de village du secteur Sud de Niakara AIP Côte d’Ivoire-AIP/ Présidentielle 2020: Reprise des activités économiques à M’Bahiakro suite au couvre-feu GNA HUAWEI introduces huge storage, stellar audio setup Y6s smartphone GNA NPP’s number one position is a step forward- Veep

Maio: PM promete para “breve” instalação de uma unidade de produção e armazenamento de gelo na vila da Calheta


  8 Octobre      9        Economie (10056),

   

Porto Inglês, 08 Out (Inforpress) – O primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, garantiu que os pescadores da vila da Calheta vão ganhar “brevemente” uma unidade de produção de gelo para sanar o problema que vem afligindo a classe.
O chefe do Governo, que se encontra de visita à ilha, assegurou que muito em breve vai ser lançado o concurso público para a instalação de uma unidade de produção e armazenamento de gelo, na vila da Calheta, e que a mesma vai ser abastecida com recurso à energia renovável.
Com isso defendeu que vai ser possível minimizar os custos de produção e, consequentemente, ter um impacto na redução do preço daquele produto, resolvendo uma das grandes reivindicações da classe daquela vila piscatória.
“Quer dizer que condições para pescadores e peixeiras da vila da Calheta vão estar dignamente melhoradas dentro de pouco tempo”, enfatizou.
Ulisses Correia e Silva esteve na manhã de hoje nas instalações da loja dos pescadores, na cidade do Porto Inglês, onde auscultou as preocupações e reclamações dos homens do mar e das peixeiras.
De entre as várias dificuldades, os pescadores apontaram a falta de apoio para a aquisição de motores de popa fora de borda, botes, falta de linha de crédito e ausência de poderes local e central para dialogar com a classe e inteirar-se dos seus problemas.
Por seu lado, as peixeiras manifestaram o seu descontentamento com a falta de condições no espaço destinado à venda do pescado, com realce para a falta da rede de água, balança de grande porte, espaço para colocação dos produtos caso não conseguirem vender tudo durante o dia, e ainda a falta de mesas em condições para trabalharem.
Após auscultar a preocupação da Associação Vindos do Sul e das peixeiras, o primeiro-ministro prometeu-lhes que dentro de pouco tempo vai destacar uma equipa técnica do Ministério da Economia do Mar, para se inteirar de toda essa situação e encontrar a forma de ajuda-los na resolução destes problemas.

Dans la même catégorie