ANP Inondations au Niger : L’Algérie au secours des populations sinistrées à travers un don de 500 tentes ANP Niamey abrite la 11ème réunion du Comité de Pilotage de la Mission EUCAP-Sahel Niger APS L’ADEPME A ACCOMPAGNÉ 16.446 ENTREPRISES EN DIX ANS (RESPONSABLE) APS CONCOURS BUSINESS PLANS : DES SUBVENTIONS DE 5 À 20 MILLIONS DE FRANCS AUX LAURÉATS APS OUVERTURE DES TRAVAUX DU CONSEIL PRÉSIDENTIEL DÉDIÉ À LA RELANCE DE L’ÉCONOMIE ANP L’ANP amorce la phase de sa réhabilitation (Directeur général) GNA Ghana needs more enforcement of environmental laws GNA President commissions Kasapreko juice and water Factory in Kwadaso GNA Your support and campaign for NPP victory is unprecedented-Speaker GNA Secessionists allegedly attack Volta STC yard, torch busses

Mali/CEDEAO realiza hoje cimeira extraordinária sobre situação no país


  27 Juillet      10        Monde (353),

   

Bissau,27 Jul 20(ANG) — Os líderes da comunidade regional da África do Oeste (CEDEAO) realizam hoje uma cimeira extraordinária para propôr medidas destinadas a resolver a crise política no Mali.

O encontro surge após o fracasso de duas missões em Bamako, capital do Mali, na tentativa de reconciliar o Governo do presidente Ibrahim Boubacar Keïta e os grupos da oposição que exigem a sua retirada do poder.

O presidente da CEDEAO, Muhammadou Issoufou, disse na sexta-feira que irá propôr « fortes medidas » para ajudar a resolver a crise.

A coligação da oposição, baptizada de M5-RFP, rejeitou uma proposta para a formação de um Governo de unidade nacional, partindo do facto de que o presidente Keïta deve renunciar ao cargo para que um Governo de transição seja criado.

Por sua vez, os líderes da CEDEAO insistem que qualquer mudança de Governo no Mali deverá obdecer a Constituição do país.

Certos analistas indicam que a crise no Mali poderá ter sérias implicações para a segurança e a estabilidade regionais.

Outros estão preocupados com o facto de que a situação possa “cair nas mãos” de grupos armados do país e da região, caso não seja adequadamente gerida.

O presidente Keïta , eleito em 2013, parece estar a enfrentar o seu maior desafio político até ao momento com a actual crise.

Uma dúzia de pessoas morreram numa série de protestos contra o Governo no decurso das últimas semanas, após as forças de segurança serem acusadas de uso da força excessiva sobre os manifestantes.

Dans la même catégorie