GNA More than 5, 800 centres open for EC’s exhibition exercise in Ashanti Region GNA Voters commend EC for SMS verification platform GNA Veep supports Strategic National Stockpile establishment to tackle health emergencies GNA Government urged to develop a comprehensive cervical cancer control plan GNA Voter Register Exhibition begins smoothly but on low key GNA Peace Council to hold 2020 national youth for peace summit GNA Odweanoma Paragliding site to be commissioned during ‘Yenko Kwahu’ Festival GNA Ghana is making moderate progress in nine SDGs APS INONDATIONS : 271 FAMILLES SINISTRÉES RECASÉES SUR UN SITE DE KEUR MASSAR APS PLAN ORSEC : UNE LARGE PART SERA RÉSERVÉE À DIOURBEL, PROMET ALY NGOUILLE NDIAYE

Mali/Junta militar promove nomeações para altos cargos no exército


  3 Septembre      13        Politique (11187),

   

Bissau, 03 Set 20 (ANG) – A junta que está no poder no Mali há duas semanas, após um golpe militar, promoveu novas nomeações para vários altos cargos no exército e serviços de inteligência, segundo os decretos divulgados hoje.

O general Oumar Diarra foi nomeado chefe do Estado-Maior dos Exércitos por decreto assinado pelo chefe da junta, o coronel Assimi Goita, datado de 01 de Setembro, noticia a agência AFP.

O novo responsável substitui o general Abdoulaye Cou
libaly, que nos últimos anos perdeu centenas de homens na luta contra os ‘jihadistas’, apesar do apoio das forças francesas e de outras nações e da ONU.

O general Coulibaly continua detido pela junta, assim como alguns altos funcionários e figuras políticas, que foram presas durante o golpe militar que derrubou o presidente Ibrahim Boubacar Keita em 18 de Agosto.

O presidente deposto está também detido, em prisão domiciliária, com acesso restrito à Internet e telefone e sem direito a visitas.

Segundo um oficial revelou à AFP, sob a condição de anonimato, o novo chefe do Estado-Maior é considerado um homem « com integridade e rigor » e a sua principal tarefa será « reformar o exército do Mali e capacitá-lo para defender a pátria ».

A junta promoveu ainda outras substituições em cargos importantes, com o coronel Lassana Doumbia a ser o novo director-geral da Segurança do Estado [serviços de inteligência], o coronel Jean Dao Chefe é o novo responsável do Estado-Maior da Guarda Nacional, uma estrutura do exército, e o general Souleymane Doucouré o novo secretário-geral do Ministério da Defesa.

Independente desde 1960, o Mali viveu, em 18 de Agosto, o quarto golpe militar na sua história, depois dos episódios ocorridos em 1968, 1991 e em 2012.

A junta militar que tomou o poder há duas semanas libertou o antigo Presidente, Ibrahim Boubacar Keita, na quinta-feira.

Além da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) e da União Africana, a ação militar já foi rejeitada pela Organização das Nações Unidas (ONU) e pela União Europeia (UE).

Portugal tem no Mali 74 militares integrados em missões da ONU e da UE.

Antigo primeiro-ministro (1994-2000), Ibrahim Boubacar Keita, 75 anos, foi eleito chefe de Estado em 2013, e renovou o mandato de cinco anos em 2018,

foi hospitalizado terça-feira à noite depois de um princípio de acidente vascular cerebral (AVC).

« Após extensos testes, concluímos que sofreu um ataque isquémico transitório, é um alerta, mas ele está a recuperar bem de momento », disse um médico da clínica de Bamako, onde o chefe de Estado deposto deu entrada, citado pela agência France-Presse.

Um ataque isquémico transitório normalmente dura apenas alguns minutos e manifesta-se como um AVC (perda de força de um lado, perda de visão, deficiência da linguagem), sendo considerado um sinal de aviso do risco de um enfarte subsequente.

Dans la même catégorie