AIP Des infrastructures socio-éducatives inaugurées dans le Bafing AIP Une organisation initie des projets hydrauliques au profit des populations de Bocanda AIP Le RHDP prévient que la candidature de Ouattara n’est pas négociable (Communiqué) AIP Le corps préfectoral du Guémon en concertation pour réussir le pari des élections apaisées AIP Le petit pèlerinage musulman va reprendre à partir du 4 octobre AIP Visite d’Etat: Le président de la République est arrivé à Bouaflé AIP Visite d’État: Bouaflé, debout comme un seul homme pour accueillir Alassane Ouattara AIP Les leaders de Bocanda appelés à s’impliquer davantage dans la préservation de la paix AIP Visite d’Etat dans la Marahoué: le Président Ouattara rend hommage à Charles Koffi Diby AIP L’ONECI rassure de la distribution prochaine des CNI à Bocanda

Mali/Presidente IBK derrubado por militares apresentou demissão


  19 Août      11        Politique (11290),

   

Bissau, 19 Ago (ANG) – O presidente maliano Ibrahim Boubacar Keita acabou por apresentar a demissão nesta terça-feira após ter sido derrubado por um golpe militar que pôs termo também ao governo e ao parlamento.

Os revoltosos, apoiados pela população, apelam a uma transição civil.

O presidente e o primeiro-ministro foram detidos pelos militares em Bamaco, nesta terça-feira, antes de formalizarem a queda do regime.

As autoridades eram contestadas há meses levando à mediação em vão do antigo presidente nigeriano, Goodluck Johnathan, em nome do bloco regional, a Comunidade económica dos Estados da África ocidental.

Esta decidiu suspender o Mali da organização, fechando as fronteiras como país, e condenou o golpe anunciando uma cimeira extraordinária para esta quinta-feira sob a alçada do presidente nigerino, Mahamadou Issoufou, líder regional.

A União Africana, mas também a França, a União Europeia e as Nações Unidas condenaram a alteração da ordem constitucional maliana.

O Conselho de segurança da ONU poder-se-ia reunir de emergência nesta quarta-feira sobre o caso.

Os militares prometem transição civil e novas eleições num prazo razoável.

Estes tinham capturado IBK e Boubou Cissé, primeiro-ministro, na casa do até agora presidente maliano ao final da tarde desta terça-feira.

A revolta implicou também a neutralização de altas patentes do exército por parte dos revoltosos que, ao que tudo indica, teriam levado a cabo a sua intervenção desde a base de Kati, a 15 kms da capital.

A oposição tem recusado integrar um governo de união nacional e tem apelado à demissão tanto do primeiro-ministro, como do presidente.

Este último cenário era, porém, descartado pela CEDEAO.

Na declaração, citada pela agência de notícias France-Presse (AFP), IBK disse na televisão pública que tinha trabalhado desde a sua eleição, em 2013, para dar a volta ao país e “dar corpo e vida” ao exército maliano, que enfrenta a violência ‘jihadista’ há anos.

Apresentado como “presidente cessante”, Keita referiu-se depois às “várias manifestações” que têm vindo a exigir a sua partida há vários meses, afirmando que “o pior aconteceu”.

“Se hoje pareceu bem a alguns elementos das nossas forças armadas concluir que tudo deveria terminar com a sua intervenção, será que tenho realmente escolha? Não tenho outra escolha senão submeter-me, porque não quero que seja derramado sangue para me manter [no cargo]”, disse.

“É por isso que gostaria neste preciso momento, agradecendo ao povo do Mali o seu apoio ao longo destes longos anos e o calor do seu afecto, de vos anunciar a minha decisão de deixar as minhas funções, todas as minhas funções, a partir deste momento”, anunciou. “E com todas as consequências legais: a dissolução da assembleia nacional e do governo”, acrescentou.

ANG/Inforpres/Lusa/RFI

Dans la même catégorie