ANG Estudo revela que desnutrição contribui para a morte de 45 % de crianças menores de cinco anos ANG “Património Cultural do país exige uma requalificação ambiciosa”, diz a Secretária de Estado do Turismo e Artesanato ANG Lisboa quer “o nível máximo” com Bissau GNA Maj Mahama- Police did not rely solely on the video-Witness GNA Special Educators admits to low knowledge on cerebral palsy GNA Administrators urged to end “we are working on it” syndrome AIB Eau, Energie et Economie : L’Allemagne soutient le Burkina Faso avec 26 milliard de FCFA AGP Arrestation de deux passagers pour détention de faux passeports AIB Burkina: Vers l’instauration  d’un système efficace de protection des personnes vulnérables ANGOP Un message du Président angolais remis à son homologue chinois

Mc. Mário satisfeito com evolução da música nacional


  7 Décembre      32       

   

Bissau, 06 Dez 18 (ANG) – O músico rapper da nova geração, Mário João Mendonça, vulgo Mc.Mário, disse que a música rapper evoluiu bastante nos últimos tempos o que atualmente se pode ouvir a música em quatro partes do mundo só num clique.

Em entrevista exclusiva à ANG esta quinta-feira no quadro do seu concerto, a realizar no próximo dia 22 do corrente mês, Mc. Mário afirmou que o aparecimento das universidades fez com que a música guineense evoluísse tanto porque a formação académica possibilitou que se tenha um vocabulário mais forte.

« Antes não havia como ter a formação a não ser no estrangeiro, mas hoje há grande evolução da música guineense devido a formação académica que nos leva a ter uma visão mais ampla e escrever mais e melhor », justificou o Mc. Mário.

Disse que a população guineense deve começar a ver os seus músicos como um espelho, como pessoas que podem levar o nome do país para o mundo fora.

« Quando a população paga bilhete para ir assistir ao espetáculo, ela está a investir no crescimento do músico e esse vai poder pagar ao estúdio, fazer um vídeo de qualidade e ter uma imagem desejada, a fim de poder estar no mesmo nível com músicos internacionais », referiu.

Salientou que atualmente a música virou uma indústria, e que os músicos nacionais têm dificuldades financeiras, pelo que necessitam de apoios, apesar de haver muitos novos talentos.

Sobre o silêncio do MEX POX, o grupo do qual faz parte e que parou há muito tempo, esclareceu que, ele está a defender a bandeira desse grupo, acrescentando que estão parados devido o contratempo dos seus elementos, mas que não houve nenhum problema entre eles, defendendo que são todos irmãos.

Apela ao público a participar em massa no concerto previsto para 22 de dezembro e insiste que só participando em massa é que poderá ajudar os músicos a crescerem.

O concerto será no dia 22 do corrente mês, no estádio 24 de Setembro e conta com a presença de alguns músicos guineenses residentes no país e no estrangeiro, caso do Donpina, Jalex, NB, As One, Dr. Gaus, Defrow, entre outros. ANG/DMG/ÂC//SG

Dans la même catégorie