MAP L’Union africaine profondément préoccupée face à l’utilisation de véhicules aériens sans pilote par les terroristes de Boko Haram MAP Le Maroc réitère à Addis-Abeba son appel pour la création d’une Plateforme d’experts africains pour la lutte contre les épidémies LINA ‘Grow What You Eat, Eat What You Grow’ – Pres. Weah Tells Liberians LINA SONA: Pres. Weah Moots Non-Partisan Approach On Bills Vital To Nat’l Growth LINA Amidst Challenges: Liberia’s Economy ‘Fundamentally Strong’ – Weah LINA Pres. Weah Appreciates UN For 75 Years Of Partnership LINA Pres. Weah Lauds Int’l Bodies For Effective Response To COVID-19 LINA Sixty Percent Of 15Counties To Receive Stimulus Package By March 2021 LINA Pres. Weah Envisions More Infrastructural Development GNA WHO official warns of continued transmission of coronavirus even after wide vaccinations

MpD considera que OE´2021 vem dar “respostas necessárias” às questões sociais


  9 Décembre      15        Politique (14399),

   

Cidade da Praia, 09 Dez (Inforpress) – A líder da bancada parlamentar do Movimento para a Democracia (MpD, poder) disse hoje que o Orçamento de Estado para o ano 2021 (OE’2021) vem dar “respostas necessárias” às questões sociais, “fortemente afectadas” pela pandemia.
Joana Rosa fez estas declarações à imprensa, à margem das jornadas parlamentares do MpD, tendo em vista o debate parlamentar que arranca nesta quarta-feira, 09, com a discussão e aprovação do OE´2021 na sua especialidade.
A deputada declarou que o Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV, oposição) “não apresentou nenhuma proposta” para discussão do OE’2021, o que significa que “não está interessado”.
Atestou que o OE´2021 vai ser um orçamento para cuidar de famílias e de pessoas, medidas sociais que foram anunciadas para além daquelas que já estavam em curso.
Neste sentido, apontou o alargamento de Rendimento Social de Inclusão para mais dez mil famílias, mas, destacou, o obejctivo é atingir, em 2021, 29 mil famílias, frisando também as medidas de Rendimento Solidário e Rendimento Social Emergencial.
“Paralelamente, outras medidas adicionais que tem a ver com o perdão da dívida e religação de energia elétrica na casa de agregados familiares de pessoas pobres, regularização de ligações clandestinas e de igual forma o Estado assumir a dívida e taxa de religação de água a domicílio”, indicou.
Joana Rosa fez referência ao alargamento da formação profissional a mais jovens, isenção de taxa moderadora a doentes para que tenham acesso à saúde e utilização de habitações do Projecto Casa para Todos para regime de arrendamento.
“Para além disso, há o incentivo e à produção cultural, em que o Executivo vai patrocinar eventos musicais, aquisição de obras de artes para gerar rendimento, ou seja, tudo que é indústria criativa o tesouro do Estado vai assumir”, afiançou.
Em relação à saúde, a deputada do partido no poder confirmou a instalação do aparelho de Tomografia Axial Computorizada (TAC), que servirá toda a região do Sotavento, assim como a aquisição de equipamentos para todos os centros de saúde nas ilhas, para diminuir as transferências de doentes entre as ilhas.
Relativamente às declarações do PAICV de só votar a favor do OE’2021 na especialidade caso o Governo apresente alterações extraordinárias, Joana Rosa disse que mexidas importantes nas despesas seriam cortar as despesas essenciais do Estado, que tem a ver com pensão social e medidas de políticas sociais.
Por outro lado, referiu que a reforma do Estado que o PAICV pede e que não conseguiu fazer em 15 anos é um processo que está a ser trabalhado paulatinamente.

Dans la même catégorie