APS MOUSSA NDIAYE, GRANDE RÉVÉLATION DE LA COUPE DU MONDE U20 (FRANCE FOOTBALL) APS AMINATA DIOP SALL OFFERTE EN MODÈLE DE RÉUSSITE DANS LES DISCIPLINES SCIENTIFIQUES APS LA SÉCURITÉ SANITAIRE AU MENU D’UNE SESSION DE FORMATION ATOP SOTOUBOUA : LA POPULATION SENSIBILISEE SUR L’ALBINISME MAP Programme « Afrique créative »: Appel à candidatures ouvert jusqu’au 15 août prochain (AFD) ATOP SENSIBILISATION SUR L’USAGE INAPPROPRIE DES ANTIBIOTIQUES A LA FACULTE DES SCIENCES DE SANTE DE L’UK ATOP LA CECAP DRESSE UN BILAN POSITIF DE SES ACTIVITES DE 2018 ATOP JOURNEE MONDIALE DU DON DE SANG 2019 : LE CNTS APPELLE LA POPULATION A DONNER DU SANG POUR SAUVER DES VIES MAP Le Comité des Représentants permanents de l’UA tient à Addis-Abeba sa 38 session ordinaire avec la participation du Maroc AGP COPA America : la Colombie surprend l’Argentine de Messi (2-0)

Museu Etnográfico Nacional reabre portas, 18 anos após sua destruição


  18 Septembre      39        Arts & Cultures (2539), Arts plastiques (78), Photos (21094),

   

Bissau, 18 Set 17 (ANG) – O Museu Etnográfico Nacional foi reaberto no último fim de semana  em Bissau com a realização de um colóquio e uma exposição sobre o museu, 18 anos depois de sua destruição durante a guerra civil entre 1998 e 1999.

A reabertura foi apoiada pela embaixada de Portugal e o Camões – Instituto da Cooperação e da Língua, Fundação Calouste Gulbenkian, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisa e o Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa.

«A exposição fala sobre a história da existência do Museu Nacional Etnográfico, que há tanto tempo deixou de existir», afirmou o diretor-geral do museu, Albano Mendes.

Segundo o comunicado divulgado à imprensa pela cooperação portuguesa, o colóquio teve como objetivo revelar a «importância patrimonial do museu e do seu contributo para a identidade cultural do país» e contou com a presença do antropólogo Ramon Sarró, que digitalizou do arquivo cerca de 400 provas fotográficas para reconstituir a história do museu, criado em 1986.

«Na exposição as pessoas podem ver tudo aquilo que fizemos para retratar a história através de provas de contacto e o retrato da história do museu», explicou Albano Mendes.

A exposição, que pode ser visitada até ao final de setembro, integra fotografias e contextualização etnográfica dos objetos, alguns desaparecidos durante a guerra, bem como a coleção que sobrou e novas aquisições.
ANG/Lusa

Dans la même catégorie